Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mercado de trabalho

Roberto Podval assume a defesa de Marcelo Sereno

Por 

O advogado Roberto Podval deve assumir nos próximos dias a defesa de Marcelo Sereno nas acusações de participar do suposto mensalão. Podval atuou, entre outros casos de repercussão, em defesa da Schincariol na recente operação da Polícia Federal e foi também defensor de Sérgio Gomes da Silva, acusado de participação no assassinato do então prefeito de Santo André, Celso Daniel (PT), e de um esquema de arrecadação de propina dentro da cidade.

Sereno foi assessor especial da Casa Civil durante a gestão do ex-ministro José Dirceu e secretário nacional de Comunicação do PT durante a gestão do ex-presidente do partido José Genoino. A acusação contra ele é de manipular os fundos de pensão para arrecadar dinheiro para campanhas eleitorais.

Assim como Genoino, Delúbio Soares (tesoureiro) e Sílvio Pereira (secretário-geral), ele perdeu o cargo em razão das denúncias que envolvem a direção partidária. Sereno ainda deve ser convocado para depor na CPMI dos Correios.

O ex-assessor de Dirceu e ex-dirigente do PT já havia sido citado durante as investigações contra Waldomiro Diniz, que foi flagrado quando cobrava propina do empresário de jogos Carlinhos Cachoeira. Na época, Diniz presidia a Loterj. Sereno foi também secretário do Gabinete do Governo do Rio de Janeiro durante a gestão da petista Benedita da Silva.

Em depoimento à CPI da Loterj, o ex-secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Eduardo Soares, acusou Marcelo Sereno de agir de forma antiética ao negociar recursos para sua campanha eleitoral. Disse ainda ter alertado o então assessor do PT sobre as irregularidades cometidas por Waldomiro.

Soares revelou, nesta terça-feira à CPI dos Bingos, que Diniz “era peça importante” na estrutura da Casa Civil da Presidência da República, sob o comando do ex-ministro José Dirceu. Ele afirmou também que Sereno completava a triangulação. E que, em comum acordo com Delúbio, Sereno "era um dos principais arrecadadores de recursos para campanhas eleitorais, principalmente em nível nacional".

Leonardo Fuhrmann é repórter da revista Consutor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 2 de agosto de 2005, 20h23

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 10/08/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.