Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Galo na cabeça

Justiça de Pernambuco libera briga de galos em Olinda

A Justiça do Pernambuco liberou a briga de galo em uma rinha de Olinda. Por decisão da 5 Câmara Cível do Tribunal de Justiça a briga de galo pode ser praticada sem empecilhos no Pal[acio do Galo, uma rinha de Olinda que funciona há mais de 40 anos e tem 300 associados. O local passou um ano fechado por intervenção do Ministério Público. A informação foi divulgada pelo site Globo.com nesta sexta-feira, 23/12.

A briga de galo é proibida em todo o país e durante a última campanha eleitoral municipal, o publicitário Duda Mendonça, marqueteiro da prefeita de São Paulo Marta Suplicy e do presidente Lula, foi preso enquanto em uma rinha clandestina do Rio de Janeiro.

Para o relator do processo, desembargador José Fernandes Lemos, a rinha de galo faz parte da "cultura nacional" e seus participantes apenas organizam e presenciam um fenômeno da natureza. O desembargador explicou que o galo costuma lutar com outro macho de sua espécie, mesmo quando não é induzido a faze-lo pelo homem. Lemos lembrou que a agressividade dos animais também faz parte do espetáculo em rodeios, vaquejadas e corridas de cavalos.

O presidente do Palácio do Galo, Sebastião Souto, afirmou que a decisão havia sido tomada no fim do primeiro semestre, mas os adeptos das rinhas decidiram não divulgá-la. Como o Ministério Público não recorreu da decisão, a sentença transitou em julgado.

Revista Consultor Jurídico, 24 de dezembro de 2004, 18h14

Comentários de leitores

12 comentários

Parabéns ao desembargador, ele entendeu que se ...

Cristiano ()

Parabéns ao desembargador, ele entendeu que se proibisse a rina de galos tembém teria que proibir o rodeio, que gera milhões ao governo, tem políticos importantes e artistas de renome no comando, e está pronto pra enfrentar qualquer polícia federal, já que lá tem centenas de "DUDAS", tanto é que lá a PF não vai lá, porque com certeza não vão "rodar" só três, aliás briga de galo não é crime, CRIME é espancar uma pessoa indefesa até a morte dentro de uma carceragem!!!!!

Errada a decisão do nobre desembargador, afinal...

Alexandre Melfi ()

Errada a decisão do nobre desembargador, afinal, "pau que bate em Chico, deve também bater em Francisco".

De fato, dignidade não vem ao caso. Corretas ...

Paulo E. Gomes ()

De fato, dignidade não vem ao caso. Corretas as colocações do Paulo César e do Marcelo mas o Observador precisa prestar mais atenção. O artigo trata de uma conduta prevista pela legislação penal que não pode ser "revogada" por uma câmara cível de um tribunal estadual. O fato de haver crianças e velhos abandonados não conduz a que devamos tolerar o relaxamento geral dos costumes, passando-se a conviver com práticas como "rinhas de galo" e de outros bichos. No Rio, já existem "rinhas de pitbulls", no que deve ser um espetáculo dantesco. A tendência é uma degradação generalizada, como acontece com a jogatina, agravada pela crueldade imposta pelos supostos racionais aos indefesos irracionais.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/01/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.