Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Serviços à comunidade

Policial leva dinheiro durante batida e agora terá de prestar serviços

Os R$ 99,00 levados por um policial civil durante uma batida para apreensão de drogas acabou saindo mais caro do que ele imaginava. Jairo Abrahão Linhares Júnior foi condenado a prestar dois anos de serviços à comunidade. A decisão foi da 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Ainda cabe recurso.

Em maio de 2000, Linhares participava de uma blitz na região de São Sebastião, no Distrito Federal. Os policiais estavam no encalço do traficante conhecido como “Pica-Pau”. Quando encontraram o esconderijo do traficante, a polícia passou a revistar o local em busca de drogas. Mas, Linhares, segundo testemunhas, pegou os R$ 99,00 que estavam dentro de uma carteira encontrada na casa.

O policial foi condenado em primeira instância a dois anos de reclusão, em regime aberto, pelo crime de furto. Além disso, ele ainda foi condenado à perda do cargo. Mas, tanto Linhares como o próprio Ministério Público, que ofereceu a denúncia, resolveram recorrer da decisão.

Agora, em segunda instância, a pena privativa de liberdade foi substituída pela restritiva de direito, ou seja, prestação de serviços à comunidade. Conforme a condenação, Linhares deverá ainda se apresentar regularmente em juízo para prestar contas de suas atividades. A perda do cargo, no entanto, foi cassada pelos desembargadores do TJ-DF, que entenderam que o caso não se tratou de delito funcional.

Nº do processo: 20000810023392

Revista Consultor Jurídico, 17 de dezembro de 2004, 15h18

Comentários de leitores

4 comentários

Mas esse ai é somente um dos indicios que nas i...

Justiceiro (Funcionário público)

Mas esse ai é somente um dos indicios que nas isntituiçoes do DF muito há que se investigar. Afinal, a irmã do policial (que também é policial) é uma estelionatária e a Corregedoria da PCDF apesar de todas as evidencias da pratica delituosa parece nao estar muito interessada em dar prosseguimento no inquerito que apura a pratica do crime por parte dela e de outro policial. O numero do processo é 2005.01.1.029168-3, que por várias vezes já esteve parada (e no momento está) na mão da corregedoria da PCDF! Assim fica dificil dar razaão e acreditar em alguma instituição nesse país.

"Quem rouba de ladrão merece perdão"...

Antônio Carlos de Lima ()

"Quem rouba de ladrão merece perdão"...

Talvez, se o acusado tivesse furtado a carteira...

Trans Sem Dente (Outro)

Talvez, se o acusado tivesse furtado a carteira de um delegado ou de um juiz, a decisão do Tribunal fosse diferente em relação ao delito funcional...

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.