Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Raízes profundas

Teori envia a Moro acusações de Delcídio sobre propina no governo FHC

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, decidiu enviar ao juízo de primeiro grau trechos da delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) sobre suposto pagamento de propina na Petrobras durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Cabe ao juiz federal Sergio Moro definir se tem competência para ficar com o caso.

Em um dos termos de delação, Delcídio declarou que, entre 1999 e 2001, quando ocupou cargo de diretor de Gás e Energia da estatal, só a compra de uma máquina para uma refinaria rendeu propina de U$S 10 milhões. Segundo ele, o dinheiro “possivelmente” foi destinado a políticos ligados ao extinto PFL (atual DEM).

Zavascki atendeu pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para retirar do STF a investigação dos fatos, por não envolver pessoas com foro privilegiado. Para Janot, é preciso “averiguar até que ponto as declarações do colaborador encontram eco” nos fatos apurados até o momento na operação “lava jato”. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 2 de maio de 2016, 21h56

Comentários de leitores

4 comentários

nojo

marias (Contabilista)

me dá nojo do nosso Judiciário parcial e tendencioso.....a história contara este capítulo com seus nomes memoráveis

Será arquivado na 'sexta seção'

Fernando Lira (Outros - Internet e Tecnologia)

Duvido que será levada a frente qualquer investigação nesse sentido, haja visto o que foi feito com a informação do Triplex no Guarujá que pertence a Mossack Fonseca que levaria a peixes ainda mais graúdos...
Enfim, via de regra, tucano aqui no Brasil só vai para atrás das grades quando se trata da ave em zoológicos...

Vão engavetar

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Duvido que investiguem alguma coisa do tucanato quadrilheiro.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 10/05/2016.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.