Consultor Jurídico

Notícias

Falta de pagamento

Penhora de único imóvel da família é proibida se dívida não for ligada ao bem

Por 

A impenhorabilidade do único imóvel de uma família só vale depois que o pagamento foi finalizado, e se o débito que leve à execução do devedor não for referente ao bem familiar. O entendimento é da 8ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo.

No caso, o autor da ação solicitou a penhora do imóvel em janeiro de 2014 por falta de pagamento. A inadimplência ocorreu porque o carro cedido pelo comprador do bem como parte do pagamento ficou inutilizável depois que o motor fundiu.

A primeira instância entendeu que o comprador do imóvel não tinha culpa no defeito apresentado pelo veículo. Desse modo, o autor da ação recorreu ao TJ-SP. Para o relator do caso na 8ª Câmara, desembargador Luiz Ambra, o bem não pode ser considerado de família, já que ainda não havia sido totalmente pago.

"O objeto da venda foi o próprio imóvel que se tem como bem de família, pago defeituosamente como afinal se reconheceu por decisão transitada em julgada. De modo que, ao menos em princípio, não poderia o adquirente se beneficiar da própria torpeza", disse o desembargador.

Segundo Ambra, o parágrafo 1º do artigo 649 do Código de Processo Civil delimita que “a impenhorabilidade não é oponível à cobrança do crédito concedido para a aquisição do próprio bem”. Ele complementa que "se parte do preço não foi satisfatoriamente adimplido, pelo débito resultante continuava respondendo o próprio bem transacionado. Isso e tão-somente isso, há convir".

Clique aqui para ler o acórdão
Agravo de Instrumento 2182583-94.2015.8.26.0000

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 10 de outubro de 2015, 15h11

Comentários de leitores

1 comentário

Penhora

José Carlos Silva (Advogado Autônomo)

Estranha está Decisão. Primeiro pelo carro. Motor fundido? Houve prova de que tal motor já estivesse prestes a fundir? Foi provada a má fé do comprador? Parece mais um caso fortuito. Segundo: Se o bem não está totalmente quitado, cabe penhora. E quem vai assumir a dívida estando o devedor sem o bem? Ou eu não entendi a notícia?

Comentários encerrados em 18/10/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.