Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Consultoria investigada

Ex-ministro José Dirceu, seu irmão e um assessor são presos pela PF

A Polícia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (3/8) o ex-ministro José Dirceu, em Brasília. Ele é suspeito de ter recebido R$ 39 milhões de empreiteiras por meio da JD Assessoria e Consultoria, repasses que seriam justificados por serviços supostamente não praticados.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, também foram presos o irmão de Dirceu, Luiz Eduardo Oliveira e Silva, que era sócio na empresa de consultoria, e seu ex-assessor Roberto Marques, conhecido como Bob.

Dirceu foi preso em Brasília nesta segunda
Reprodução

A JD Assessoria foi contratada por construtoras investigadas na “lava jato”, como a Galvão Engenharia, a OAS e a UTC. Para a PF, os repasses indicam lavagem de dinheiro. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz federal Sergio Fernando Moro, responsável pelas ações penais do caso no Paraná.

Em coletiva de imprensa na manhã desta segunda, membros do Ministério Público Federal e da PF disseram que Dirceu organizou o esquema de corrupção na Petrobras enquanto era ministro da Casa Civil no primeiro mandato de Lula (2003-2006). A medida inicial dele foi indicar Renato Duque para a diretoria de Serviços da estatal e, a partir daí, a prática ilícita passou a se difundir, contou o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.

Ao ser questionado se Lula poderia ser investigado, Lima garantiu que "nenhuma pessoa está livre" disso. Ele também citou que "há investigações em andamento, grande parte em sigilo", sem citar nomes. 

A 17ª fase da operação foi batizada de pixuleco, em alusão ao termo utilizado por alguns dos acusados grampeados. Há ainda cinco mandados de prisão temporária e seis mandados de condução coercitiva, em Brasília, em São Paulo e no Rio de Janeiro. 

Dirceu já cumpre hoje prisão domiciliar por sua condenação na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Mesmo antes de ser alvo da operação, ele já havia tentado um Habeas Corpus preventivo para afastar um “suposto constrangimento ilegal”, depois que foi citado em depoimento do delator Milton Pascowitch, acusado de ter operado repasses de propinas da Engevix Engenharia. O pedido, porém, acabou negado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O advogado Roberto Podval disse em outras ocasiões que a consultoria de Dirceu já encerrou as atividades e que o cliente encaminhou documentos à Justiça Federal demonstrando os serviços prestados. A revista Consultor Jurídico não conseguiu contatar a defesa na manhã desta segunda. Com informações da Agência Brasil.

* Texto atualizado às 11h32 do dia 3 de agosto de 2015 para acréscimo de informações.

Revista Consultor Jurídico, 3 de agosto de 2015, 8h06

Comentários de leitores

22 comentários

Quando a defesa é uma mera formalidade

Advocacia Costa Alves (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Eu fico pensando, o crime compensa, com essa declaração do Dr. Podval, “Ele não pediu propina, ele pediu ajuda. Ele estava em uma situação financeira ruim e pediu ajuda para pessoas com quem já tinha trabalhado. Por isso que houve recebimento quando o Zé [Dirceu] não trabalhava.” Olha até eu queria ter um benemérito desses, em 5 anos, R$ 8.9 milhões de reais, da um total de R$ 1.780 (um milhão e setecentos e oitenta mil reais). Vamos fazer uma suposição, não existe mensalão e o Dr. Jose Dirceu foi nomeado ministro do STF, ele teria ganhado ai em torno R$ 420.000,00, somados os 5 (cinco) anos ele teria ganhado ai um total de R$ 2.100.000,00, ou seja, beira ao ridículo afirma que em cinco anos um cidadão que respondi a processo criminal, foi preso e estava preso desde Dezembro de 2012, recebeu em doações por ano o equivalente ao valor dos salários acumulados dos últimos anos de um ministro do STF... Réu indefeso, só um alienado para acreditar numa coisa dessas..... Ocorre que, se o José Dirceu alegar que fazia lobby junto ao governo mesmo estando preso, isso seria a ruína, o golpe final no governo Dilma e do PT, se o José Dirceu alega que o seu escritório de advocacia continuava a prestar serviços mesmo ele estando preso, essa defesa pegaria mal até pra OAB/SP que nunca cassou o registro, pois, embora Dirceu tenha sido condenado na AP 470 pela prática de crimes de corrupção ativa (9 vezes), seu cadastro está regular na OAB. Ou seja, para este réu a confissão seria a melhor estratégia....

Observe que...

Eduardo.Oliveira (Advogado Autônomo)

Sr Observador.. (Economista),
Por qual motivo um pode tornar-se consultor, mas o outro não? Se não é ilegal, é imoral!
É isso que acho divertido. Tem sempre alguém achando que o culpado é dos outros.
P.S. O senhor chegou a ter conhecimento da empresa de blindagens que obteve certificação (do Exército) mesmo com os seus produtos não sendo resistentes à carga atestada? E da distribuição de convites VIPs ao responsáveis pelo setor? Se não é ilegal, é imoral!
Pode até ser armação da concorrência, mas a aceitação de cortesias em tais condições mancha a instituição sustentada pela Nação.

Correção

Observador.. (Economista)

A IMPUNIDADE não é a norma.Abaixo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 11/08/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.