Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições 2012

Nove capitais elegem prefeitos no primeiro turno

Por 

Nove prefeitos foram eleitos em primeiro turno nas capitais brasileiras. As eleições municipais estão resolvidas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Goiânia, Maceió, Recife, Aracajú, Boa Vista e Palmas. Em duas capitais, Belo Horizonte e Recife, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) conseguiu eleger seus candidatos ainda em primeiro turno, Márcio Lacerda na capital mineira e Geraldo Júlio em Pernambuco.

Além do PSB, o PMDB também elegeu dois candidatos. Fora Eduardo Paes, no Rio, Teresa Surita foi eleita em Boa Vista (RR). A candidata conquistou 39,26% dos votos, mas como a capital tem menos de 200 mil habitantes, não há segundo turno. É o caso do prefeito eleito de Palmas, Carlos Amastha, colombiano naturalizado brasileiro e um empresário que migrou para a política. Os outros cinco partidos que elegeram prefeitos em primeiro turno nas capitais são DEM, PT, PSDB, PDT e PP um de cada.

Em Cuiabá, o TSE não computou os votos de Lúdio Cabral (PT) e o seu candidato a vice, Francisco Faiad, do PMDB, nas primeiras horas da apuração. Isso porque Faiad, conselheiro federal da OAB, teve seu registro cassado em setembro pela primeira instância. Os adversários, que impugnaram o registro, afirmaram que ele participou de uma reunião da Ordem já candidato, o que é vedado pela Lei Eleitoral. Entretanto, ele conseguiu reverter o entendimento em segunda instância. Mas a juíza responsável pela totalização dos votos em Cuiabá, Gleide Bispo dos Santos, disse que não foi informada sobre a decisão de segunda instância, que derrubou a impugnação de Faiad.

Por conta do problema de comunicação, foi divulgado que a eleição em Cuiabá estava encerrada em primeiro turno, o que acabou retificado posteriormente. O site do TSE chegou a divulgar que o candidato do PSB, Mauro Mendes, havia ganhado a eleição com 75% dos votos, derrotando o candidato do PSOL, procurador Mauro, em segundo lugar. Lúdio Cabral aparecia com o placar zerado. Mauro Mendes, que recebeu 43,92% dos votos disputará o segundo turno com Lúdio Cabral, com 42,17%.

No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) foi reeleito com mais de 64% dos votos, vencendo o candidato do PSOL, Marcelo Freixo, em segundo lugar com 28,15%. José Fortunati, prefeito reeleito pelo PDT em Porto alegre, foi quem venceu com maior margem, 65,25% em relação à candidata do PC do B, Manuela D`Avila, 17,76%.

Entre os reeleitos, além de Paes, estão Márcio Lacerda (PSB) em Belo Horizonte, Paulo Garcia (PT) em Goiânia e Fortunati em Porto Alegre.

Prefeitos eleitos nas capitais
CidadeEleito%2º colocado%
AracajuJoão Alves - DEM52,72Valadares Filho - PSB37,62
Belo HorizonteMarcio Lacerda – PSB52,65Patrus Ananias – PT40,85
Boa VistaTeresa Surita - PMDB39,26Mecias de Jseus - PRB29,02
GoiâniaPaulo Garcia - PT57,68Jovair Arantes - PTB14,25
MaceióRui Palmeira - PSDB56,78Jurandir Boia - PDT12,81
PalmasCarlos Amastha - PP49,65Marcelo Lelis - PV43,24
Porto AlegreJose Fortunati - PDT65,22Manuela D'Ávila - PC do B 17,76
RecifeGeraldo Júlio - PSB61,15Daniel Coelho - PSDB27,65
Rio de JaneiroEduardo Paes – PMDB64,60Marcelo Freixo – PSOL28,15

Segundo turno
Dezessete capitais brasileiras terão segundo turno nestas eleições. Em São Paulo, continuam na corrida José Serra (PSDB), que conquistou 30,75% dos votos, e Fernando Haddad (PT), em segundo lugar, com 28,9%. O candidato do PRB, Celso Russomano, que manteve a liderança nas pesquisas de intenção de voto durante boa parte da campanha, ficou em terceiro lugar, com 21,60%.

Serra foi prefeito da capital paulista entre 2005 e 2007 e governou o estado de São Paulo de 2007 a 2010, além de ter exercido funções como ministro de Estado da Saúde e Planejamento durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Fernando Haddad  chefiou o gabinete da Secretaria de Finanças na gestão da prefeita Marta Suplicy (2000-2004) e foi ministro da Educação entre 2005 e 2012.

Outra disputa que será definida no segundo turno é entre os candidatos ACM Neto (DEM) e Nelson Pelegrino (PT) em Salvador. Por uma margem estreita, ACM Neto venceu o primeiro turno com 40,17% dos votos enquanto Pelegrino recebeu 39,73%.

Em Manaus, o ex-senador Artur Virgílio Neto (PSDB) ficou à frente na votação em primeiro turno com 40,55% dos votos, e disputará o segundo turno com a candidata do PC do B, Vanessa Grazziotin, que conquistou 19,95% dos votos na capital amazonense.

O segundo turno das eleições está marcado para domingo, 28 de outubro.

Segundo turno nas capitais
Cidade1º colocado%2º colocado%
São PauloJosé Serra – PSDB30,76Fernando Haddad – PT 28,99
BelémZenaldo Coutinho – PSDB32,58Edmilson Rodrigues – PSOL30,67
Campo GrandeAlcides Bernal - PP39,64Giroto - PMDB28,23
CuritibaRatinho Jr. - PSC34,08Gustavo Fruet – PDT27,23
FlorianópolisCesar Souza Jr. - PSD31,65Gean Loureiro - PMDB27,39
FortalezaElmano de Freitas – PT25,44Roberto Cláudio – PSB 23,32
João PessoaLuciano Cartaxo – PT 38,32Cícero Lucena - PSDB 20,27
ManausArtur Virgílio – PSDB 40,55Vanessa Grazziotin – PcdoB 19,95
MacapáRoberto – PDT40,18Clécio – PSOL 27,89
NatalCarlos Eduardo – PDT40,42Fernando Mineiro - PT 23,01
Porto VelhoLindomar Garçon - PV 24,76Mauro Naizf - PSB 18,99
Rio BrancoMarcus Alexandre -PT 48,30Tião Bocalon - PSDB 43,85
SalvadorACM Neto - DEM 40,26Nelson Pelegrino - PT39,64
São LuísEdivaldo Holanda - PTC36,44Castelo - PSDB 30,60
TeresinaFirmino Filho - PSDB 38,77Elmano Férrer - PTB 33,14
VitóriaLuciano Rezende - PPS 39,14Luiz Paulo - PSDB36.69
CuiabáMauro Mendes - PSB 43,97 Lúdio - PT42,23

 é repórter da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 7 de outubro de 2012, 22h16

Comentários de leitores

2 comentários

Correção Natal

C.B.Morais (Advogado Autônomo)

Considerar correção da grafia para Hermano Morais

Correção Natal

C.B.Morais (Advogado Autônomo)

Em Natal, o segundo lugar é para Elmano Moraes do PMDB, e não Mineiro, do PT.

Comentários encerrados em 15/10/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.