Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Retrato social

Livro conta histórias do dia a dia de varas de Família

Por 

Guarda compartilhada em novas famílias, aborto e divórcios por conta de traições virtuais são os temas do livro A vida não é justa, de autoria da juíza carioca Andréa Pachá. A obra será lançada nesta quinta-feira (29/11), às 18h, no terraço da Escola Superior de Magistratura (ESM). O evento contará com uma sessão de autógrafos.

A autora reúne histórias que presenciou nos mais de 15 anos como julgadora, à frente de varas de Família. Dividido em quatro partes — "Amores líquidos", "Pais e filhos", "Realidade ampliada" e "Recomeço", o livro foge da ótica do “juridiquês” sem deixar de lado as impressões de Andréa sobre as atuais mudanças na sociedade e, consequentemente, na Justiça brasileira.

A ideia surgiu no Facebook, onde Andréa compartilhou suas histórias com amigos que se mostraram interessados pelos relatos. Agora, ela abre ao público suas impressões como juíza e como cidadã, sobre os casos e os caminhos que a conduziram às sentenças — promovendo uma oportunidade para o leitor descobrir o que se passa na cabeça de um juiz no dia a dia de seu trabalho.

Escrito por uma especialista em relações familiares, com experiência também na criação de roteiros e produção teatral, o livro foi pensado para atingir a todos: profissionais da área de Direito, de psicologia, educação e, claro, o público em geral.

A autora
Andréa Maciel Pachá é juíza de Família do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Foi membro do Conselho Nacional de Justiça, responsável pela criação do Cadastro Nacional de Adoção, pela Comissão de Conciliação e Acesso à Justiça e pela implantação das varas de Violência contra a mulher em todo o país. Foi vice-presidente de Comunicação da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e integrou a equipe que produziu a Cartilha sobre as novas regras para a adoção. Coordenou a campanha pela Simplificação da Linguagem Jurídica, publicando uma cartilha para entender o juridiquês. Foi produtora de teatro e trabalhou com Amir Haddad, Aderbal-Freire Filho, Luis Arthur Nunes e Rubens Correa.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 28 de novembro de 2012, 9h44

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 06/12/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.