Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pedido de prisão

Pai é acusado de matar filho de 21 dias

Por 

O Ministério Público paulista ofereceu denúncia contra Anderson Luiz de Oliveira. Ele é acusado pelos crimes de tentativa de homicídio e homicídio triplamente qualificado (motivo fútil, meio cruel e mediante recurso que impossibilitou a devesa da vítima). O homicídio ainda foi agravado por ser praticado contra descendente menor de 14 anos.

De acordo com o promotor de Justiça Rogério Leão Zagallo, Anderson espancou até a morte o filho, Gustavo Xavier de Oliveira, e de tentou matar a mulher, Karen Cristina Xavier. Os crimes ocorreram no início do mês, no apartamento da família, na Cohab Educandário, no Jardim Arpoador.

“Esse crime foi praticado por motivo fútil, ou seja, Anderson matou Gustavo apenas e tão somente por ter ele se incomodado com o choro de seu filho”, argumentou o promotor de Justiça Rogério Leão Zagallo.

“O denunciado, ao espancar o pequeno Gustavo até a morte agiu com extrema e desmedida brutalidade e em oposição ao mais elementar sentimento de piedade, o que caracteriza a crueldade”, completou o promotor para quem o crime também foi cometido com recurso que dificultou a defesa da vítima, uma criança de apenas 21 dias de vida.

De acordo com a denúncia, na madrugada do último dia 3, Anderson matou o filho de apenas 21 dias de vida, com socos e golpes na cabeça porque ele não parava de chorar. A mãe de Gustavo, Karen, acordou com o barulho e dirigiu-se ao quarto onde estavam pai e filho. Quando viu a cena, tentou defender a criança, mas Anderson passou então a asfixiar a esposa. Ela conseguiu se desvencilhar e fugir com o filho já morto no colo.

O promotor ainda pediu ao juiz da 5ª Vara do Júri da Capital que transforme a prisão temporária de Anderson em preventiva. Zagallo justifica seu pedido por conta da conduta violenta do acusado. Ainda sustenta que depois do crime Anderson fugiu para a cidade de Rio Claro e ameaçou testemunhas do caso.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 17 de março de 2011, 10h44

Comentários de leitores

2 comentários

monstro

Fafá-sempre alerta (Outros)

QUEM MATA O PROPRIO FILHO PQ. CHORAVA ,IMAGINE O QUE FAZ COM OUTRAS PESSOAS...

Que Deus mostre a verdade!

NaZS (Estudante de Direito)

Ele tá sendo acusando por um monte de coisas, mas ninguém sabe realmente o que aconteceu! Vamos ver se no exame de corpo delito identifica agressões feitas pelo Anderson na Karen!
Ela fugiu dele? Como pode uma pessoa fugir com a pessoa que a está ameaçando? Até onde sei, eles foram juntos ao hospital. E o Gustavo não estava morto ao chegar ao hospital!
O Anderson não ameaçou testemunha nenhuma! Nem da família da Karen, nem dos amigos e família de Rio Claro, tanto que quando a viatura chegou, ele se entregou de livre e espontânea vontade! Sempre foi um rapaz certo, um exemplo de pessoa. Nunca demonstrou atitudes agressivas com ninguém.
O pior de tudo é que ele pode estar escondendo fatos para proteger a Karen! E se ele continuar escondendo fatos, vai arcar com todo o prejuízo, vai ficar marcado, enquanto a Karen posa de "boa mãe". A "boa mãe" que tentou abortar o filho em 3 tentativas frustradas!
Espero que a justiça seja feita nesse caso! E que o Anderson não pague por este erro sozinho!
Que Deus ilumine esses advogados, promotores e juiz!

Comentários encerrados em 25/03/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.