Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grupo dos "inhos"

Policiais presos no Rio conseguem liberdade no TRF-2

A Justiça Federal do Rio de Janeiro concedeu liberdade aos inspetores da Polícia Civil Jorge Luiz Fernandes, Fábio Menezes de Leão e Hélio Machado da Conceição, conhecidos como “Jorginho”, “Fabinho” e “Helinho”, que integravam o chamado grupo dos "inhos". Eles foram presos em operação da Polícia Federal no ano passado, chamada de “Segurança Pública S/A”. Nesta terça-feira (10/2), conseguiram um Habeas Corpus para trancar a Ação Penal a que respondem. As informações são do site G1.

Segundo o entendimento da 2ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, os três já foram condenados em outra ação e não podem responder pelos mesmos crimes novamente. Eles já haviam conseguido decisão favorável no Supremo Tribunal Federal para responder à outra ação em liberdade, só podendo ser presos depois da condenação definitiva da Justiça.

A ação movida pelo Ministério Público contra os policiais também incluiu o ex-deputado Álvaro Lins. Em 2006, eles já haviam sido presos preventivamente, por determinação da Justiça Federal do Rio, após outra operação da PF, contra a máfia dos caça-níqueis. De acordo com o tribunal, esta primeira operação gerou um processo penal na 4ª Vara Federal Criminal do Rio, que condenou os três pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção. A operação Segurança S/A deu origem a outra ação penal, na 3ª Vara Federal Criminal do Rio, que acabou sendo trancada.

Para a desembargadora Liliane Roriz, relatora, a denúncia do MP mostra que a operação de 2008 é “um desmembramento ou desdobramento das investigações implementadas” durante a primeira operação, de dois anos antes, e que ambas se baseiam nos mesmos fatos, inclusive com o compartilhamento de provas, como interceptações telefônicas.

Revista Consultor Jurídico, 11 de fevereiro de 2009, 2h30

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/02/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.