Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ficha corrida

Policiais militares acusados de tráfico são presos no Rio

Quarenta e sete policiais militares foram presos, nesta segunda-feira (17/9), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Eles são acusados de tráfico de drogas, corrupção passiva e ativa, concussão (crime cometido por funcionário público) e formação de quadrilha. Os PMs foram levados para o 15º BPM, em Caxias, de acordo com informações do G1.

A Justiça expediu 66 mandados de prisão – 59 para policiais militares e sete para traficantes, segundo o delegado André Drummond, da 59ª DP (Duque de Caxias). As investigações foram promovidas pela Corregedoria da PM.

As primeiras informações dão conta de que os agentes policiais presos seriam soldados, cabos e sargentos. Nenhum oficial foi detido na operação.

O presidente da Associação de Ativos, Inativos, Pensionistas das Polícias Militares, Brigadas Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil, Miguel Cordeiro, criticou a atuação da Corregedoria neste tipo de operação. "A Corregedoria deve garantir amplo direito de defesa para todos os suspeitos. Sou contra ladrão dentro da PM, mas não admito que seus direitos não sejam respeitados. Ladrão também é ser humano", enfatizou Cordeiro.

Revista Consultor Jurídico, 17 de setembro de 2007, 17h08

Comentários de leitores

2 comentários

Como bem disse o Chico Buarque: "Chame um ladrã...

Zerlottini (Outros)

Como bem disse o Chico Buarque: "Chame um ladrão, chame um ladrão, chame um ladrão..." E é como dizem naquele programa que é um pé no saco e só o Sr. Abravanel não desconfiou ainda, o Chavez: "Oh, e agora, quem poderá nos ajudar?" Nem o Chapolin Colorado consegue... Se a própria Polícia está infestada de traficantes, como é que ficamos, nós, o povo de trouxas? Nusfu, como sempre? Por isso é que os bandidos perderam o medo da Polícia: é tudo "amiguinho"... Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MH.

Vamos aguardar o curso investigatório. Depois, ...

Luís da Velosa (Bacharel)

Vamos aguardar o curso investigatório. Depois, a impunidade.

Comentários encerrados em 25/09/2007.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.