Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Desarticulação estadual

PF faz operação e prende 34 doleiros em três estados

A Polícia Federal desencadeou, nesta terça-feira (8/8), a Operação Tigre nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás. Ao todo, 78 mandados de prisão, busca e apreensão foram cumpridos – 34 doleiros estão presos O objetivo foi desarticular grupos associados de doleiros.

Entre os detidos está Hu Zhon Ngwei, alto funcionário da Câmara de Comércio Brasil-China. A acusação é de que ele se aproveitava de sua posição para atuar como elo entre comerciantes e doleiros e de atuar junto com Toninho da Barcelona, doleiro que está preso. Além do chinês, outros três são acusados de participar do mesmo esquema.

De acordo com a Polícia Federal, o caso começou a ser investigado em dezembro de 2005 e teve por base as ações de uma empresa de câmbio e turismo que agia sem a autorização do Banco Central. A empresa fazia remessa de valores para o exterior por meio da modalidade conhecida como “cabo”, no qual o dinheiro transferido para contas no exterior não sai fisicamente do país de origem.

Além dos doleiros, são investigados os clientes das casas de câmbio que usavam os serviços com a finalidade de encobrir a origem injustificável dos recursos e enviá-los ao exterior para iniciar o processo de lavagem de dinheiro.

Os investigados vão responder por prática de crimes contra o sistema financeiro nacional, contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. As penas máximas somadas chegam a 28 anos de prisão.

Revista Consultor Jurídico, 8 de agosto de 2006, 19h47

Comentários de leitores

1 comentário

Justiça seja feita, a polícia federal é mesmo u...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Justiça seja feita, a polícia federal é mesmo uma mãe para os advogados criminalistas.

Comentários encerrados em 16/08/2006.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.