Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mentor intelectual

Ex-gerente do BB que tentou matar cliente continua preso

O ex-gerente do Banco do Brasil, Josimar Pereira de Souza, acusado de tentar matar uma de suas clientes, vai permanecer preso. A decisão é do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que julgou prejudicado o Habeas Corpus impetrado pela defesa.

A decisão foi tomada depois que os desembargadores receberam a informação de que a prisão temporária do acusado foi convertida, na terça-feira (12/7), em prisão preventiva pelo Juiz do Tribunal do Júri de Brasília. A vítima Laura Bezerra dos Santos, uma senhora de 81 anos, sobreviveu a um estrangulamento na suíte do Hotel Naoum, onde morava. As informações são do TJ do Distrito Federal.

O advogado do bancário afirmou que as condições pessoais indicam que ele não vai prejudicar a instrução criminal. Disse ainda que Josimar é primário, tem bons antecedentes, família constituída e já recebeu proposta para trabalhar assim que deixar a prisão.

A decisão abre para a defesa a possibilidade de impetração de outro Habeas Corpus em favor do ex-bancário. Só que dessa vez o pedido deve ser formulado contra o decreto de prisão preventiva, cujos requisitos estão no artigo 312 do Código de Processo Penal: para garantia da ordem pública ou econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria.

A tentativa de homicídio ocorreu em 27 de maio passado. A vítima recebeu um telefonema do ex-gerente prometendo a entrega de biscoitos à cliente. A caixa foi entregue por Valério Rodrigues que, segundo o inquérito policial, ficou encarregado de estrangular Laura Bezerra. O criminoso, que está foragido, saiu da suíte deixando a vítima desmaiada. Mas ela sobreviveu à ação homicida e ligou para a polícia.

Josimar Pereira de Souza era funcionário do Banco do Brasil há 25 anos. Atualmente ocupava o cargo de gerente. De acordo com informações dos autos, ele seria o mentor intelectual do homicídio. Antes de tentar matar a ex-cliente, Josimar desviou mais de R$ 100 mil da conta dela. O crime contou ainda com a ajuda do primo de Josimar, Maedson de Souza Rodrigues, que também está preso.

Processo: 2005.002.005.059-0

Revista Consultor Jurídico, 14 de julho de 2005, 16h48

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/07/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.