Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Escutas clandestinas

Empresas de policiais são acusadas de espionagem

Duas empresas de segurança privada dirigidas por policiais são investigadas por suspeita de espionagem e de instalar escutas telefônicas clandestinas, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo. A investigação é feita pela Polícia Federal, Ministério Público estadual e pela Polícia Civil de São Paulo.

Os sócios das empresas Spy Cops e Marte Vigilância e Segurança Patrimonial são policiais de departamentos de elite da Polícia Civil paulista. Segundo as investigações, as empresas fazem escutas ilegais para atuar em investigações paralelas de crimes envolvendo seus clientes. O custo semanal de uma escuta varia entre R$ 3,5 mil e R$ 5 mil.

De acordo com o jornal, entre os clientes das empresas estão escritórios de advocacia, juízes, bancos, executivos de multinacionais e construtoras. Os três policiais acusados negaram as acusações ao jornal.

A Spy Cops seria contratada pelos clientes e, então, acionaria o Grupo Marte, que faria as escutas ilegais. De posse do material, o Grupo Marte repassaria os CDs com as escutas para a Spy, responsável pela transcrição das conversas.

Em depoimento à PF, o perito criminal Samuel Alves de Melo Neto e o papiloscopista João Charles Ferreira, ambos do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa, confirmaram que são donos da Spy Cops e que a empresa fez escuta ilegal em pelo menos dois casos que investigou.

Revista Consultor Jurídico, 26 de abril de 2005, 15h19

Comentários de leitores

1 comentário

O noticiado não significa nada, sendo apenas um...

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

O noticiado não significa nada, sendo apenas um pega trouxa para ingles ver. As garantias individuaís estão banalizadas, sendo os grandes responsáveis pelos ataques os agentes dos poderes constituídos. Agora é tarde...Parabéns senhores e senhoras, continuem assim...

Comentários encerrados em 04/05/2005.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.