Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prisão mantida

TJ-MG nega liberdade para acusado de mandar assassinar promotor


A Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitou o pedido de habeas corpus de Luciano Farah Nascimento. Ele é acusado de mandar assassinar o promotor de Justiça, Francisco José Lins do Rego Santos. Farah está preso no Ceresp da Gameleira.

A defesa alegou que existem irregularidades no processo. De acordo o advogado do réu, um juiz do 1º Tribunal do Júri e outro do 2º Tribunal do Júri teriam despachado o pedido de ação criminal, sem distribuir o processo para as partes, causando prejuízos à defesa. O advogado negou a participação de seu cliente no crime.

O relator do processo criminal, José Antonino Baía Borges, afirmou que o processo foi distribuído.

Farah aguarda o entendimento do juiz do 2º Tribunal do Júri, Edison Feital Leite. O juiz decidirá se o acusado irá a júri popular.

Revista Consultor Jurídico, 22 de abril de 2002.


Revista Consultor Jurídico, 22 de abril de 2002, 13h52

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/04/2002.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.