Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Bem desprotegido

Obras de arte são penhoráveis, decide TJ gaúcho.

Obras de arte podem ser penhoradas. O entendimento é da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul ao excluir a proteção da impenhorabilidade de várias obras de arte de uma arquiteta.

De acordo com o site Espaço Vital, ela foi co-executada, juntamente com Mobili Incorporadora pela credora Ressources Consultoria & Assessoria, representada pela advogada Marcia Brust Brun. A arquiteta alegou que não poderia ter as obras de arte executadas "porque são instrumentos de trabalho". O argumento não foi aceito.

A relatora, desembargadora Elaine Harzheim Macedo, afirmou que "a penhorabilidade é a regra e a impenhorabilidade é a exceção". Para a relatora, as obras de arte "não são úteis e nem necessárias".

Processo nº 70003-281.805

Revista Consultor Jurídico, 30 de novembro de 2001, 11h17

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/12/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.