Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Comentários dos leitores

Ronaldo Fontes Linhares

"É lamentável. Pela primeira vez em minha vida profissional de advogado, militante e, portanto, afeito com as coisas do judiciário, vejo-me na condição de colocar em descrédito um julgamento do STF. Na verdade, a bíblia do ministro deve ser a Constituição Federal e a legislação infra-constitucional. No julgamento dessa ação, os eminentes ministros olvidaram tudo isso para emitirem opinião política. Faço votos que, com esse julgamento, não tenha sido o início de um ciclo de submissão do Judiciário ao executivo."

André Fernandes

"É cristalino que o julgamento foi político em quase a sua totalidade. A CF/88 foi desprezada pelos 8 ministros - com 'm ' minúsculo mesmo e respeitada por apenas 2 Ministros . Avalizaram a revogação de vários artigos do Código do Consumidor - art.22 dentre outros - e ainda têm o displante de dizer que, então, uma simples Medida Provisória pode revogar uma norma de ordem pública oriunda de um mandamento constitucional!! Que vergonha para o STF. Ali não é necessário saber Direito!"

Lauro Arthur Legran

"O STF parece que não entende de liberdades do indivíduo!! Julgamento político é isso aí!!".

Marco Antônio de Souza

"O STF se tornou um pretório apenas político, que parece existir só para contentar FHC. Infelizmente."

Marcelo Alves

"Uma vergonha....Será que um país em que a suprema corte é submissa ao executivo tem futuro? Duvido."

Diogo Jorge F. Dos Santos

"Foi de uma inconstitucionalidade total o que nossa corte, responsável pela guarda de nossa lei maior fez. Acatou de maneira submissa o que foi imposto pelo poder executivo."

Hirton Soares

"Não julgando a seriedade da situação, os Srs. ministros não respeitaram a Constituição Federal".

Ricardo

"Não excluo a seriedade da situação enérgica do país, contudo, entendo que esse "espetáculo de incompetência" tem, em boa parte, o famigerado fim do sucateamento do serviço público com nítido fim dirigido à privatização".

Revista Consultor Jurídico, 11 de julho de 2001, 14h12

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/07/2001.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.