Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

A defesa de Pimenta

Altos servidores de quatro governos serão testemunhas de Pimenta Neves

Altos servidores de quatro governos irão depor a favor do jornalista Antônio Pimenta Neves, no próximo dia 28: Said Farhat, Roberto Muller e Pedro Luís Rodrigues.

Farhat comandou toda a estratégia e estrutura de comunicação do governo do general João Figueiredo. Müller, no governo José Sarney, foi chefe de gabinete de Dílson Funaro, primeiro no BNDES, depois no Ministério da Fazenda. Jornalista por formação, Müller foi também vice-presidente da empresa que edita a Gazeta Mercantil e diretor da Gazeta de Vitória. Hoje ele dirige o site de economia e política Panorama Brasil, pertencente ao ex-governador Orestes Quércia.

Pedro Luís Rodrigues, jornalista e diplomata, serviu no Palácio do Planalto, no governo Fernando Collor, como secretário de Imprensa. Mas deixou as funções por desentendimentos com a estrutura collorida. E voltou ao Itamaraty onde já fora subchefe de comunicação. No primeiro governo de FHC, Pedro Luís chefiou a estrutura de comunicação do Ministério da Fazenda, com Pedro Malan.

Licenciado mais uma vez do Itamaraty, Pedro Luís assumiu a direção da Sucursal do Estadão, em Brasília, cargo que já deixou.

Irão depor como testemunhas de defesa de Pimenta também a sua ex-mulher, Carol Neves; o advogado Roberto d`Utra Vaz; a jornalista Íris Walquíria, que é editora no Estadão e amiga do réu há quase vinte anos; o assessor do empresário Nenê Constantino, José Carlos Melo; e os jornalistas Washington Novaes, Arnaldo Galvão e Leila Ventura.

Revista Consultor Jurídico, 20 de setembro de 2000, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 28/09/2000.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.