Consultor Jurídico

Saída em Bloco

Comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica pedem demissão

Os comandantes do Exército, Edson Pujol, da Marinha, Ilques Barbosa, e da Aeronáutica, Antônio Carlos Moretti Bermudez, pediram renúncia coletiva nesta terça-feira (30/3) por discordar do presidente da República, Jair Bolsonaro. 

Saída em bloco acontece um dia depois de Bolsonaro demitir o ministro da Defesa Fernando Azevedo
Presidência da República

O anúncio foi feito pelo Ministério da Defesa. A curta nota não aponta o motivo das renúncias. O texto diz apenas que os comandantes "serão substituídos" e que a decisão dos militares foi comunicada hoje. 

As renúncias ocorrem um dia depois de Fernando Azevedo, agora ex-ministro da Defesa, ser demitido. Azevedo funcionava como pivô entre as alas militares no governo e sua saída inesperada gerou mal-estar entre os comandantes das Forças Armadas. 

A demissão sumária do ministro ocorreu porque Bolsonaro cobrava manifestações políticas favoráveis a interesses do governo e apoio à ideia de decretar estado de defesa para impedir lockdowns no país. 

Essa é a primeira vez desde 1985, quando chegou ao fim a ditadura militar iniciada em 1964, que os comandantes do Exército, Aeronáutica e Marinha deixam o cargo ao mesmo tempo, sem ser em troca de governo. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de março de 2021, 13h16

Comentários de leitores

9 comentários

Omissões

AC-RJ (Advogado Autônomo)

Se a nota do Ministério da Defesa não aponta o motivo das renúncias, como este site anuncia que os comandantes das três Forças Armadas teriam renunciado por discordarem do Presidente da República, Jair Bolsonaro? A matéria não cita a fonte nem menciona como se chegou a esta conclusão.

Do mesmo modo, como concluiu que a saída do ex-ministro da Defesa Fernando Azevedo teria gerado mal-estar entre os comandantes das Forças Armadas? A notícia não descreve como se chegou a esta conclusão, já que nenhum deles expressou publicamente qualquer sentimento a respeito.

E ainda, por que expressou também que teria havido tais desavenças entre o Presidente e o seu então Ministro da Defesa se, da mesma forma, nenhum dois nada falaram sobre este assunto?

Por estas omissões, a impressão que se passa é que a matéria foi totalmente escrita com base no "achismo".

É raciocínio lógico.

Tarquinio (Advogado Autônomo - Empresarial)

Basta ter um neurônio na cabeça.

Moro, Mandetta, Min Defesa e chefes das forças armadas. Todos saíram sob o argumento de ingerência indevida no P.R.

Mas não, o mito não quer interferir em nada.

Pura especulação!

Alcino Lagares Jr (Advogado Autônomo - Civil)

O vídeo divulgado pelo ex-comandante da aeronáutica deixa claro que o PR comunicou aos 3 generais a intenção de exonerá-los.
A narrativa da “renúncia coletiva” dos comandantes é mais uma triste fake news a compor a retórica dos inconformados com o resultado das eleições de 2018.

Não são todos pazuelos

Ademir Marin (Advogado Sócio de Escritório - Administrativa)

Quando os bajuladores e interesseiros de plantão propuseram que Lula disputasse um terceiro mandato (2010) sua resposta foi curta e objetiva: "não se brinca com a democracia". Na esteira da aversão à Lula grande parcela dos brasileiros (muitos que se imaginavam bem pensantes) elegeram essa aberração que desde o primeiro dia de governo só pensa em reeleição, propondo mesmo mudar um sistema de votação bastante refratário a fraudes. Como não é de todo estulto, percebendo que as asneiras cometidas todos os dias, desde janeiro de 2019, lhe retiraram toda a possibilidade de reeleição, tenta trilhar o mesmo caminho do Chaves na Venezuela: Golpe. Felizmente, a cúpula das nossas Forças Armadas e das Polícias Militares não são golpistas. Temo pela manipulação das bases destas forças.

Esquizofrenia é tratável, falta de senso e caráter não!

Paulo Marcelo (Advogado Autônomo - Civil)

Gostaria de conhecer seus feitos como advogado, caro comentarista, dado a estapafúrdia interpretação da realidade que descreves - e que nem chamo de colega porque tenho senso e caráter para não repetir asneiras que criam como feno, apenas e exatamente para alimentar quem não enxerga o valor da liberdade e da vontade da maioria contra a manutenção do poder sujo e corporativista que todo bom advogado sabe que existe neste pais há pelo menos 60 anos!
Quem está se portando como ditador é o STF a La Venezuela que temos, retirando poderes constitucionais do Executivo Federal apenas para permitir o golpe de venda do país para a China, que ficou escancarado com a D. Katia Abriu!
Se achas democrático o estado de sítio decretado por agentes não previstos na CF, o problema é realmente de que?! Esquizofrenia?

Mundo real

Glaucio Manoel de Lima Barbosa (Advogado Assalariado - Empresarial)

No mundo real passado a troca de Ministro e comandantes é normal, porém, no BRASIL atual é irreal. Sabemos que o projeto democrático vive em constante evolução. Nada de anormal no BRASIL do passado CARNAVAL.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/04/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.