Consultor Jurídico

contrato de terceirização

Alexandre suspende decisões que bloquearam verbas do Senado

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, cassou decisões da Justiça do Rio Grande do Sul que determinavam o bloqueio de verbas do Senado para cumprimento de execução extrajudicial referente a um contrato de terceirização de serviço.

Senado foi alvo de bloqueio de verba em execuções por contrato de terceirizaçãoEdilson Rodrigues/Agência Senado 

A 8ª Vara Cível de Porto Alegre atendeu pedido das prestadoras de serviço e ordenou a penhora de mais de R$ 28 milhões. As empresas buscavam receber os créditos acordados em contrato, inclusive para pagar verbas trabalhistas aos funcionários terceirizados do Senado.

A casa legislativa alegou que os atos afrontava, decisões do STF, que já afastou a constrição judicial indiscriminada de verbas públicas, nas modalidades de bloqueio, penhora ou liberação em favor de terceiros. Haveria afronta ao princípio da legalidade orçamentária e ao modelo de organização das finanças públicas.

O relator entendeu que as decisões caracterizavam "indevida ingerência judicial" sobre o fluxo de pagamentos do Senado e impunham "verdadeira responsabilidade patrimonial por ato de terceiro sem fundamento legal". Ele constatou violação aos princípios da separação dos poderes, da eficiência da administração pública e da continuidade dos serviços públicos. Com informações da assessoria do STF.

Clique aqui para ler a decisão
Rcl. 47.530




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 1 de junho de 2021, 20h29

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 09/06/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.