Consultor Jurídico

Prisão preventiva

Justiça recebe denúncia contra suspeito de atentado à sede do Porta dos Fundos

A 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro recebeu a denúncia oferecida pelo Ministério Público estadual contra Eduardo Fauzi, acusado de, juntamente com outras pessoas ainda não identificadas, arremessar coquetéis molotov na sede da produtora do grupo humorístico Porta dos Fundos, no Humaitá, zona sul do Rio. Além disso, o juiz Alexandre Abrahão decretou a prisão preventiva de Fauzi, por risco à ordem pública.

Atentado à produtora foi cometido após exibição de paródia audiovisual cristã
Divulgação

O empresário foi detido pela Interpol na Rússia e poderá ser extraditado para o Brasil.

De acordo com a acusação, ele assumiu, com a ação, o risco de matar o vigilante do local, que se encontrava na portaria do edifício no momento do ocorrido, no dia 24 de dezembro de 2019.

Segundo a denúncia, pelo fato de a porta de acesso ao edifício ser de vidro, o vigilante poderia ser visto pelo lado externo. Para o Ministério Público, a vítima só não morreu porque teve pronta reação, conseguindo controlar o incêndio causado e fugir do imóvel, mesmo a portaria sendo pequena, com apenas uma saída.

De acordo com o juiz, o delito foi praticado por motivo fútil, por ter ocorrido discordância em relação ao material artístico “Episódio de Natal” produzido pela produtora. Para o juiz Alexandre Abrahão, da 3ª Vara Criminal do Rio, há indícios mínimos de autoria com base no relato da vítima e de testemunhas. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ.

0349733-87.2019.8.19.0001




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 21 de setembro de 2020, 21h28

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.