Consultor Jurídico

De longe

Agente penitenciário sem contato com presos não tem direito a adicional

O agente de disciplina penitenciária que não tem contato físico com os detentos não tem direito a receber adicional de periculosidade. Assim decidiu a 8ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que negou o pedido de um agente que trabalha na lavanderia de um presídio de segurança máxima administrado pela Reviver Administração Prisional Privada Ltda., de Girau do Ponciano (AL).

O agente trabalha na lavanderia da penitenciária de Girau do Ponciano (AL)
Luiz Silveira/Agência CNJ

Ao analisar a ação do agente, o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (AL) deferiu o adicional por entender que o agente trabalhava no interior do estabelecimento prisional de forma permanente. De acordo com a corte trabalhista estadual, essa circunstância "já o coloca em situação de risco acentuado à sua integridade física ou mesmo de sua vida". 

A 8ª Turma do TST, no entanto, teve entendimento diferente. Para o colegiado, o reconhecimento do direito ao adicional de periculosidade exige o exercício de atividade profissional de segurança pessoal ou patrimonial. Nessa categoria estão incluídos apenas os empregados que exercem atividade de segurança privada e os que atuam na segurança patrimonial ou pessoal de locais ou bens públicos, contratados pela Administração Pública direta ou indireta.

No caso em análise, a própria decisão do TRT registrou que o agente ficava na lavanderia do presídio e que "assim como outros empregados da administração, não mantinha contato físico com os detentos, já que ficam em ambientes estanques". Para o colegiado do TST, que decidiu de forma unânime, isso é suficiente para afastar a possibilidade do pagamento do adicional. Com informações da assessoria de imprensa do TST.

Clique aqui para ler o acórdão
RR 1514-19.2018.5.19.0061




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de novembro de 2020, 13h09

Comentários de leitores

2 comentários

Local de trabalho invertido

Bartolomeu Dias de Araujo (Administrador)

O que faz o Agente Penitenciário na Lavanderia??? está atividade na lavanderia é pra Aux de Lavanderia ou Lavador ou Operador de Lavanderia e outras funções cfe o plano de cargos e salários da empresa

Exposição a agente nocivo

Bartolomeu Dias de Araujo (Administrador)

O trabalhador não foi devidamente orientado, buscou um valor maior, a periculosidade tem percentual único de 30% sobre o salário básico, enqto que a Insalubridade é sobre o salário mínimo, com a gradação de 10% mínimo, 20% médio e 40% máximo, porém, o profissional trabalhista conhecedor do fluxo, deveria ter alertado pra está diferença, e possibilidade de perda, explicado que no caso dele atividades em lavanderia poderia ser Insalubridade com base no LTCAT, fonte de informações pro PPP, estar exposto aos riscos químicos (produtos químicos); físicos ( ruído e calor do maquinário, e outros), e biológico ( ar que se respira neste local de roupa suja, e manuseio desta rouparia suja), e infelizmente a lei criada pelos patrões instalados no Legislativo impede o acúmulo dos riscos, dando a opção de escolher o percentual mais vantajoso !!! Vantajoso pra quem ??? Eu preferia trabalhar num ambiente saudável com Insalubridade ou periculosidade em níveis seguros, e vcs ???

Comentários encerrados em 20/11/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.