Consultor Jurídico

Jogo duro

Alexandre de Moraes quebra sigilo fiscal de 11 parlamentares bolsonaristas

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou na tarde desta terça-feira (16/6) a quebra do sigilo fiscal de 11 parlamentares que integram a base bolsonarista no Congresso Nacional. A medida faz parte do inquérito que investiga o financiamento de atos antidemocráticos que pedem o fechamento do Congresso e do STF e a intervenção militar. A informação foi publicada pelo site do jornal O Estado de S. Paulo.

Alexandre de Moraes deu ordem para a quebra do sigilo fiscal dos paramentares
Carlos Moura/SCO/STF

A lista de parlamentares alcançados pela decisão de Alexandre de Moraes tem um senador — Arolde de Oliveira (PSL-RJ) — e dez deputados. Entre eles, alguns dos mais fiéis defensores do presidente Jair Bolsonaro, como Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF) e Daniel Silveira (PSL-RJ).

Algumas horas mais cedo, Silveira fora um dos alvos da operação de busca e apreensão realizada em cinco Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catarina) e no Distrito Federal pela Polícia Federal, também por ordem de Alexandre de Moraes. Além dele, outros personagens notórios do bolsonarismo foram alvo da operação, casos do blogueiro Allan dos Santos, do empresário e advogado Luís Felipe Belmonte e do publicitário Sérgio Lima.

Na segunda-feira (15/6), as ações práticas do inquérito, aberto a pedido da Procuradoria-Geral da República, tiveram início com o cumprimento de seis mandados de prisão contra integrantes do grupo bolsonarista "300 do Brasil", entre eles sua principal líder, Sara Giromini.

Veja a lista dos parlamentares que tiveram o sigilo fiscal quebrado nesta terça:

Arolde de Oliveira, senador (PSC-RJ)
Daniel Silveira, deputado federal (PSL-RJ)
Junio do Amaral, deputado federal (PSL-MG)
Otoni de Paula, deputado federal (PSC-RJ)
Caroline de Toni, deputada federal (PSL-SC)
Carla Zambelli, deputada federal (PSL-SP)
Alessandra da Silva Ribeiro, deputada federal (PSL-MG)
Beatriz Kicis, deputada federal (PSL-DF)
General Girão, deputado federal (PSL-RN)
José Guilherme Negrão Peixoto, deputado federal (PSL-SP)
Aline Sleutjes, deputada federal (PSL-PR)

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 16 de junho de 2020, 18h33

Comentários de leitores

8 comentários

Democracia ?

Paulo Afonso Braghirolli (Consultor)

Devemos lembrar que os regimes autoritários sempre começam com congresso corrupto e alta corte dando proteção.

STF Ilegítimo

Gelezov (Advogado Autônomo - Civil)

Lembro que em março p.p. iniciou um movimento para fechar o STF, houveram algumas manifestações, que estava tomando volume considerável, quando oficializou a preocupação com o covid-19.
Lembro que parte dos Ministros estavam preocupados, já que o Presidente incentivada as manifestação, falaram que isto não era conduta de um chefe de estado.
Se não fosse a covid-19 será que os Ministros estariam lá ainda??
Este contágio vai diminuir eu volto para rua!!!
O poder emana do povo!!!

Sem bandido de estimação

NACM (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Precisamos se despir da capa ideológica e analisar os fatos à luz do direito. O que o STF está fazendo é um absurdo, não podemos aceitar passivamente que a Suprema Corte do país escolha lado e use de mecanismos que violam flagrantemente a CF. Começo a duvidar que estejamos em um estado democrático de direito, lembrei da Alemanha nazista e da Venezuela. Não devemos esquecer que até as investigações a membros do STF não progrediram. Todos não são iguais perante a lei? É papel da sociedade se insurgir a todo tipo de abuso, principalmente da Justiça e sobretudo do STF. O que me incomoda é o silêncio da OAB, em um momento tão turubulento da vida brasileira.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 24/06/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.