Consultor Jurídico

Decisão controversa

Juiz define que xingar guardas municipais de "bosta" não é desacato

Por 

O juiz Caio Márcio de Brito, da 1ª Vara do Juizado Especial Cível e Criminal de Dourados (MS), absolveu dos crimes de calúnia e desacato um homem que usou o adjetivo “bosta” ao se referir a guardas municipais.

Juiz absolve acusado de desacato por chamar guarda municipal de "bosta"
123RF

Conforme a denúncia, o Ministério Público em Mato Grosso do Sul afirma que, em outubro de 2019, o homem resistiu a uma autuação de trânsito por irregularidades quando usou o adjetivo para xingar guardas municipais.

O acusado alegou que estava “nervoso”, já que os guardas iriam apreender o seu carro.

Nos autos, consta-se que, durante o interrogatório, o réu reconheceu que havia desacatado os guardas. Ao analisar o caso, o magistrado apontou que o próprio MP nas alegações finais disse que não havia provas para justificar a condenação.

“Não só não existiram provas aptas a condenar o acusado pelo delito de resistência, como ficou demonstrado, pelo depoimento dos policiais, que não houve resistência na abordagem." 

O juiz ponderá que “pensar que o fato de ser chamado de ‘bosta’ faz com que os que utilizam a farda da Guarda Municipal se sintam desacatados, é ter a certeza de que se sentem sem nenhuma relevância em relação às suas honradas funções, a ponto de entenderem que o simples pronunciamento da palavra 'bosta' pudesse ser tão ofensivo”.

Por fim, para o juiz, o uso do adjetivo depende da conotação e pode até ser um elogio, porque o termo “pode ser visto como fertilizante, portanto, algo positivo". "Pode ser visto como um objeto ou até um avião, quando se diz: esta ‘bosta’ voa? Ou utilizado de forma coloquial, quando se diz, a vida está uma ‘bosta’."

Clique aqui para ler a decisão
0004625-31.2018.8.12.0101

Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 19 de janeiro de 2020, 17h05

Comentários de leitores

8 comentários

Sugestão

Alan Cardoso (Serventuário)

Depois de ler essa pérola, sugiro mudar a expressão popular para "bosta nos olhos dos outros é refresco". Francamente...

Que Bosta

joaovitormatiola (Serventuário)

De decisão.

Posso dizer?

LeandroRoth (Oficial de Justiça)

Posso dizer que esse juiz é um bosta que só fica no ar condicionado cagando regra e não sabe a bosta que é trabalhar na rua, exposto a todo tipo de risco e violência?
.
Será que no recurso pode-se dizer que a sentença tá uma bosta e que esse Judiciário bosta, que é em termos proporcionais um dos mais caros do mundo, parece só querer jogar bosta no ventilador e deixar a população numa bosta cada vez maior com decisões esdrúxulas e totalmente divorciadas da realidade?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 27/01/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.