Consultor Jurídico

Apoio da classe

Ajufe divulga nota pública de apoio ao ministro Humberto Martins

A Associação dos Juízes Federais do Brasil divulgou neste sábado (8/2) nota pública de apoio ao corregedor geral de Justiça e ministro do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins. O magistrado teve seu nome envolvido na delação do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

Ministro Humberto Martins nega qualquer relação com o ex-governador do Rio
Luiz Silveira/Agência CNJ

Apesar da recomendação da Procuradoria-Geral da República pela não aceitação da delação, o acordo foi homologado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, o ex-governador acusa Martins em sua delação. Em nota emitida nesta sexta-feira (7/1), Martins afirma que desconhece o conteúdo do acordo da delação de Cabral. O ministro do Superior Tribunal de Justiça ressalta que o compromisso foi negado pelo Ministério Público Federal por falta de boa-fé do ex-governador. Preso desde novembro de 2016, o ex-governador já foi condenado 13 vezes e suas penas, somadas, chegam a 280 anos de prisão.

Leia a nota da Ajufe:

A Ajufe defende o direito e dever dos magistrados de julgar imparcialmente os casos que são submetidos ao seu crivo, sem pressões ou interferências dos poderes políticos e econômicos, e presta solidariedade ao ministro Humberto Martins no momento em que é atacado de forma unilateral em flagrante ofensa ao princípio constitucional da presunção de inocência, garantia de toda sociedade democrática.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de fevereiro de 2020, 11h30

Comentários de leitores

3 comentários

Hipocrisia

JCCM (Delegado de Polícia Estadual)

Então senhores magistrados, este é o sonho de consumo de todos os cidadãos, o de que os julgamentos sejam imparciais e garantam os princípios e especialmente as cláusulas pétreas da Carta Magna, o que efetivamente tem sido violado descaradamente por Vossas Excelências, muita das vezes levados pela fama imediata, protagonizando aliança nefasta e inaceitável com órgão de acusação...

Com a palavra o CNJ e o STF que tem agido proativamente a legislar de modo absurdo, função que o Congresso não lhes deu.

Como bem disse um certo candidato a presidente, temos que fazer voltar cada um pra sua caixinha, não é mesmo!

Afinal, as garantias e prerrogativas que lhes são legadas, imperiosamente, se dão por esta razão. Da independência e imparcialidade.

Ajufe cobrando presunção de inocencia?

Mauro Castro & Advogados Associados (Advogado Associado a Escritório)

É lindo ver a AJUFE defendendo o ministro Humberto Martins com as lindas palavras: "...no momento em que é atacado de forma unilateral em flagrante ofensa ao princípio constitucional da presunção de inocência, garantia de toda sociedade democrática...", porém quando um advogado é atacado de forma unilateral e em flagrante ofensa ao "princípio de tudo", chovem comentários maldosos e irresponsáveis concordando com tudo que existe na famigerada delação premiada. Joesley Batista que o diga!!!!!!!!!!

Cabralocci (ou palocci ii)

O JR (Advogado Autônomo)

Delação do fim da picada!

Comentários encerrados em 16/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.