Consultor Jurídico

Danos Morais

Caixa é condenada a pagar indenização a usuário xingado por gerente

A Caixa Econômica Federal deverá pagar R$ 20 mil de indenização por danos morais a um cliente que foi xingado por um gerente do banco em 2014. O caso ocorreu em Peruíbe (SP) após discussão sobre um aparelho celular esquecido na agência.

Banco pagará indenização a cliente que foi xingado por funcionário
Divulgação

Ao reparar que havia esquecido o celular no banco, o usuário ligou ao próprio telefone, que foi atendido pelo gerente. Ao avisar que iria buscar o aparelho, foi informado pelo funcionário que o item só poderia ser devolvido na segunda-feira, uma vez que o expediente já havia encerrado. Como a perda ocorreu em uma quinta-feira, o cliente insistiu para ter o celular devolvido e foi ao banco. 

Ao chegar lá, segundo os autos, foi ofendido com palavras de baixo calão na frente de outras pessoas que estavam no autoatendimento. O autor do processo só conseguiu reaver o celular após solicitar a ajuda de policiais militares, que o acompanharam até a agência. 

“Essa injúria, além de violar a dignidade do demandante, também o expôs de forma vergonhosa perante o público que estava presente na agência bancária. Trata-se de grave ofensa [...] que demonstra o desprezo do gerente pelo cidadão, quando o correto deveria ser o tratamento polido, educado e respeitoso”, afirmou o juiz Mateus Castelo Branco Firmino da Silva, da 2ª Vara Federal de Santos. 

Ainda de acordo com o magistrado, mesmo “que o autor estivesse totalmente equivocado, que o correto fosse realmente entregar o celular somente na segunda-feira, o gerente não poderia, evidentemente, xingar o demandante”. “Comprovado o ato ilícito que causou dano moral, fica evidenciada a responsabilidade civil da Caixa Econômica Federal.” Com informações da assessoria de imprensa da Seção Judiciária de São Paulo.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de dezembro de 2019, 9h12

Comentários de leitores

3 comentários

O servidor público comete a falta, o contribuinte, que paga!

Bartolomeu Dias de Araujo (Administrador)

Assim é muito bom, o servidor público comete a falta, e o contribuinte, é que paga, o correto seria a suspensão, afastamento por 3 dias a 5 dias dependendo da gravidade do ato, com perdas no salário, e demais gratificações, e se fosse reincidente, seria demitido por justa causa. Não concordo que o CEF por ser serviço público estatal, o contribuinte ter que pagar 2 vezes, a primeira, o pagamento compulsório dos impostos, taxas e tributos, e de novo pagar novamente com a indenização ao banco CEF, pois quem paga seus salários e auxilios, se não for também e de novo, o próprio contribuinte ???

Perfeita decisão.

Neli (Procurador do Município)

E o Gerente deve ressarcir o banco pelos prejuízos causados.Perfeita decisão.

Gerente de banco

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Os gerentes de Banco, em sua grande maioria, pensem que são donos da agência e que "mandam nos funcionários".
Agora, uma justa causa ao "alcaide valentão".

Comentários encerrados em 30/12/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.