Consultor Jurídico

Notícias

Luto na imprensa

Veja a repercussão da morte do jornalista Otavio Frias Filho

A morte do jornalista Otavio Frias Filho, diretor de redação da Folha de S.Paulo, na madrugada desta terça-feira (21/8), foi sentida também no meio jurídico e político. Ao velório compareceram autoridades, amigos, mas principalmente jornalistas que conviveram com ele profissionalmente — no jornalismo e no teatro.

Veja a repercussão:

Ali Kamel, diretor-geral de jornalismo da Rede Globo
"A morte prematura de Otavio Frias Filho representa sem dúvida um golpe para o jornalismo brasileiro. Transformou a Folha no jornal que é hoje, enfatizou a necessidade do método na apuração jornalística e foi radical na busca pela pluralidade e isenção. Nesse momento por que passa o jornalismo no Brasil e no mundo, em tempos de redes sociais manipuláveis, quando a atividade se torna alvo de ataques dos que detestam a verdade dos fatos, preferindo apenas as suas versões, a ausência de Otavio, um formulador, será especialmente sentida. Mas o jornalismo, de cuja profissionalização ele foi um dos motores, seguirá cumprindo a sua missão. O legado de Otavio será essencial. Meus respeitos à família nesse momento triste."

Dias Toffoli, presidente eleito do Supremo Tribunal Federal
"Homem empreendedor e vanguardista, Otavio Frias consolidou o legado de seu pai, liderando o processo de modernização do jornalismo no Brasil sem perder de vista o compromisso com a ética, a transparência, a liberdade de expressão e o respeito à pluralidade de ideias. O Brasil perde um grande homem. Minhas condolências à família, amigos e a todos os colaboradores do Grupo Folha".

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal
"Otavio Frias Filho sempre será lembrado como um símbolo da liberdade de imprensa, do jornalismo sério e de uma vida direcionada para o aperfeiçoamento da sociedade. Sua morte é uma grande perda para o país."

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal
"Momento de agradecer a Otavio Frias por tudo que nos ensinou em termos de liberdade de imprensa e responsabilidade dos órgãos de comunicação. Meus sentimentos à família Frias e a toda equipe da Folha."

Laurita Vaz, presidente do Superior Tribunal de Justiça
"Otavio Frias Filho foi um baluarte do jornalismo ético, imparcial, crítico e combativo, sempre a serviço dos valores democráticos. Homem de múltiplos talentos, teve participação primordial na redemocratização do país e consolidou-se como um dos mais destacados jornalistas brasileiros. Neste momento de consternação, rogo a Deus que conforte a sua família, amigos e colaboradores do Grupo Folha".

João Otávio de Noronha, presidente eleito do Superior Tribunal de Justiça
"Recebi com pesar a notícia da precoce partida de Otavio Frias Filho, que dedicou a vida para contribuir com a construção de uma sociedade democrática e de uma forte liberdade de imprensa em nosso país."

Alberto Zacharias Toron, advogado
"Frias deixa um enorme legado não apenas pelas inovações no jornalismo brasileiro, que levou a Folha à liderança nacional, mas também pela sua militância democrática. Vai fazer falta!"

Fábio Prieto, desembargador e ex-presidente do TRF-3
"O Otavio percebeu que a imprensa seria mais independente, no limite do humanamente possível, quanto mais houvesse predominância do financiamento privado sobre o público. Para isto, precisava de um produto atraente para o mercado: jornalismo em bom português, disciplina na checagem e criatividade e pluralismo na área de opinião, tudo exposto de modo mais inovador. A classe média urbana e escolarizada comprou o projeto de imediato e a Folha bateu recordes de venda e de influência social. Este ambiente de criatividade, de afinação com o novo, ainda impulsionou o grupo para outros êxitos, como o portal UOL. Otavio tinha o arrojo da juventude, leu os livros certos e montou os grupos de liderança adequados para transformar a posição de herdeiro na de protagonista".

Michel Temer, presidente da República
"Lamento a morte do jornalista Otavio Frias Filho. Sob sua direção, a Folha de S.Paulo, já uma referência no jornalismo brasileiro sob a direção de seu pai, tornou-se palco dos grandes debates intelectuais do país, sempre com pluralismo e diversidade de opiniões, para retratar todos os matizes de nossa sociedade nos momentos mais importantes de nossa história recente. Meus sinceros sentimentos à família, aos amigos e aos jornalistas da Folha por essa perda tão prematura."

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados
"À frente da Folha de S.Paulo, Otavio criou um estilo profissional inovador e desenvolveu um trabalho extremamente respeitável. Sem sombra de dúvida, perdemos um grande profissional no jornalismo do nosso país.
Fui recebido por ele algumas vezes em almoços no jornal. Sério, cordato e muito preciso nos seus questionamentos. Minha solidariedade a Maria Cristina Frias, irmãos, esposa e filhos."

Eunicio Oliveira, presidente do Senado
"O Brasil e o jornalismo brasileiro, em especial, perderam hoje um dos mais atuantes e instigantes de seus líderes: Otavio Frias Filho. Líder inconteste da Folha de S.Paulo e do Universo On Line, foi sempre um dos mais argutos interlocutores da cena nacional. Era um homem reservado, correto, talentoso e corajoso. Fará falta ao país, à sua família, ao jornalismo e à Democracia."

José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro, presidente do Iasp
"O Instituto dos Advogados de São Paulo manifesta seu imenso pesar pela irreparável perda do jornalista Otavio Frias Filho. Ser humano muito à frente do seu tempo, Otavio sempre enfatizou a pluralidade de ideias e opiniões permitindo um aprofundamento da reflexão e, consequentemente, colaborando para o fortalecimento da democracia e da cidadania. O Brasil perde uma das suas maiores referências para a necessária e fundamental liberdade da imprensa."

Claudio Lamachia, presidente do Conselho Federal da OAB
"A Ordem dos Advogados do Brasil manifesta profundo pesar pela morte do diretor de redação da Folha de S.Paulo, Otavio Frias Filho, e oferece sua solidariedade aos familiares e amigos neste momento doloroso.
Otavio Frias Filho conduziu a Folha de acordo com os mais elevados princípios do jornalismo, que são também fundamentais para o Estado Democrático de Direito, como amplo espaço para o contraditório e para o debate de ideias divergentes.
Diariamente, o jornal apresenta sua visão crítica sobre os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo. Sem uma imprensa ativa e crítica, a democracia jamais poderá existir em sua plenitude.
Lembraremos sempre da dedicação e empenho de Otavio Frias Filho ao jornalismo e à democracia por meio das páginas, impressas e virtuais, da Folha de S.Paulo."

Fernando Marcelo Mendes, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe)
"Em sua trajetória, Otavio Frias Filho sempre atuou com profissionalismo, equilíbrio e ética. Não só honrou o legado deixado pelo pai, fundador do Grupo Folha, como modernizou o jornal, ampliou o alcance, estimulou a cobertura crítica e o debate de ideias. Sempre abriu espaço para o contraditório, com respeito aos direitos individuais, coletivos e ao Estado Democrático de Direito."

Academia Paulista de Direito
"A Academia Paulista de Direito manifesta seu imenso pesar pelo falecimento do jornalista, escritor e jurista Otavio Frias Filho, enviando a seus familiares e amigos suas condolências. Responsável pelo projeto editorial da Folha de S.Paulo, que iniciou nova era no jornalismo brasileiro, Otavio, sempre dotado de elevado senso ético e de habilidade crítica exemplar, resultado de sua notável erudição, sempre defendeu e exerceu o pluralismo democrático, colaborando decididamente para o enriquecimento da mídia brasileira e para a construção da democracia e da cidadania brasileiras. Seu espírito jovem, seu comprometimento e sua liderança crítica permanecerão na memória de seus contemporâneos, na Faculdade de Direito da USP, ecoando nos corredores, nas salas e no pátio das Arcadas."

José Agripino, senador
"O país  perde um timoneiro de sua imprensa livre. O estímulo ao debate e a opinião plural foram a marca de sua ação como dirigente e como jornalista. A nação vai sentir sua falta."

Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo e candidato à Presidência
"Recebi com profunda tristeza a notícia da morte do jornalista Otavio Frias Filho, diretor de Redação da Folha de S.Paulo. Solidarizo-me com todos que hoje sofrem com essa perda. Otavio era um intelectual brilhante, inquieto e refinado. E um homem de ação, empenhado visceralmente na modernização do jornalismo brasileiro. A obra que deixa é enorme, influente e vai muito além do indispensável jornal de cada dia. Ele assumiu o comando editorial da Folha ainda muito jovem, no momento decisivo da redemocratização brasileira e fez do jornal o veículo mais engajado na campanha das Diretas Já. Ao longo de 34 anos no comando editorial da Folha, buscou incessantemente fazer um jornalismo crítico, preciso, plural, perseguindo cotidianamente a excelência. Um modelo de jornalismo que aperfeiçoa a democracia brasileira porque espelha todas as vozes da sociedade, confrontando-as de forma civilizada, e que exige responsabilidade, eficiência e transparência dos homens públicos e das instituições. Cala fundo a morte prematura de um homem com tanto talento e tantos serviços prestados ao Brasil. Neste momento de dor, há uma certeza: o legado de Otavio para a moderna imprensa brasileira será, à medida que passe o tempo, cada vez maior. Lu e eu fazemos preces por Otavio e para que seus familiares encontrem consolo nesta hora. Nossa solidariedade e nosso afeto a todos que hoje sofrem com essa perda."

Marina Silva, candidata à Presidência
"Recebi com pesar a notícia da morte de Otavio Frias Filho. Seu compromisso com a pluralidade e a democracia tornaram a Folha o jornal que ela é hoje: rigoroso na fiscalização do poder, um componente crucial do debate público no Brasil, do qual tive a satisfação de ser colunista por duas vezes. Nestes tempos de ameaça à normalidade democrática brasileira, a falta de Otavio será especialmente sentida. Que Deus console e dê sustentação à família, aos amigos e aos colegas de trabalho."

Henrique Meirelles (MDB), candidato à Presidência
"O Brasil perdeu um dos grandes ícones do jornalismo, Otavio Frias Filho, diretor do Grupo Folha. Sua dedicação e seriedade foram fundamentais para a construção de uma democracia sólida, de respeito às instituições e liberdade de imprensa. Meus sentimentos à família."

João Amoêdo (Novo), candidato à Presidência
"Meus sentimentos à família de Otavio Frias Filho, à direção da Folha de S.Paulo e a seus profissionais. Hoje o Brasil acorda sem um de seus jornalistas e intelectuais mais capacitados, que revolucionou a maneira de se fazer jornalismo.Sua perda vai ser sentida e lamentada, mas sua obra estará sempre viva para inspirar os defensores da democracia, da liberdade de expressão e da tolerância. Por seis meses, publiquei semanalmente uma coluna de opinião no site do jornal.Pude sentir de perto a força, o prestígio e a credibilidade de uma publicação comprometida acima de tudo com a pluralidade de ideias. Descanse em paz, Otavio."

Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber
"A consternação com a perda de Otavio Frias Filho é imensa. Pelo professor dessa casa, da liderança no jornalismo e, sobretudo, do relacionamento que mantinha com todos nós. Condolências à família e ao Grupo Folha."

Oswaldo Mendes, ator, diretor e dramaturgo
"Difícil. Me lembro sempre que, quando nos conhecemos na redação da Folha no início de 1979, ele veio falar do teatro e não do jornal. Mais que jornalista, penso que ele gostaria de ser lembrado como dramaturgo."

Revista Consultor Jurídico, 21 de agosto de 2018, 9h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/08/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.