Consultor Jurídico

Mercado internacional

Petrobras aprova acordo para encerrar quatro ações individuais nos EUA

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou, nesta sexta-feira (24/2), a celebração de acordos para encerrar quatro ações individuais que tramitam na Corte Federal de Nova York, nos EUA. Os termos são confidenciais.

Petrobras já firmou 19 acordos com acionistas que a processaram.

Os autores desses processos foram o New York City Employees Retirement System, a Transamerica Income Shares, a Internationale Kapitalanlagegesellschaft mbH e o Lord Abbett Investment Trust – Lord Abbett Short Duration Income Fund.

Antes desses, a Petrobras já tinha firmado acordos para encerrar outras 15 ações individuais apresentadas à Corte Federal de Nova York. Os diálogos foram travados em outubro e novembro de 2016. “Com o anúncio de hoje, a Petrobras alcança acordo em dezenove ações individuais, do total de vinte e sete, que foram consolidadas com a class action”, diz a empresa em nota.

Segundo a Petrobras, com os acordos e as negociações em andamento com outros autores de ações individuais, o valor total previsto para provisão no exercício de 2016 será de US$ 372 milhões. Desse total, diz a empresa, US$ 364 milhões já tinham sido provisionados em setembro do ano passado.

Essas quatro ações individuais tinham sido consolidadas, para julgamento, com outras 23 ações individuais e com a class action movidas contra a companhia na Corte Federal de Nova York. “No momento, não é possível para a Petrobras fazer estimativa confiável sobre o desfecho da class action”, explica a empresa.

A Petrobras foi processada nos EUA devido a perda de valor de suas ações no mercado americano de valores mobiliários após a descoberta do esquema de fraude envolvendo contratos da companhia e empreiteiras. Também impactaram no valor dos papéis os desinvestimentos necessários para a companhia continuar com sua atividade de exploração no Brasil. Com informações da Assessoria de Imprensa da Petrobras.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 25 de fevereiro de 2017, 10h23

Comentários de leitores

2 comentários

Acordo ou medo

Jose Goncalves de Sa Neto (Administrador)

Órgãos do governo fazendo acordos, desse jeito é fácil fazer acordos pagando fortunas com o dinheiro do povo brasileiro, quando é ação de brasileiro contra órgãos do governo a pessoa morre e não tem acordo nem justiça.

E os cidadãos brasileiros ?

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Em primeiro lugar, assim que for pago, o sigilo do acordo deve ser levantado e esclarecidos os seus termos para os cidadãos brasileiros. E também é responsável a Petrobras pelos prejuízos causados ao investidores brasileiros e, sobretudo, às pessoas que perderam seus empregos e pequenos empresários que forneciam para empresas relacionadas à Petrobras. Deveria, numa analogia às desapropriações, fazer uma "oferta inicial" e atenuar os prejuízos de milhares de brasileiros por acordo na via administrativa.

Comentários encerrados em 05/03/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.