Consultor Jurídico

Nome da base

Governo anuncia deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça

O governo federal anunciou na noite desta quinta-feira (23/2) o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) como ministro da Justiça. Ele substitui Alexandre de Moraes, indicado pelo presidente Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal.

Deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) foi escolhido por Temer para ser o novo ministro da Justiça.
Geraldo Magela/Agência Senado

Deputado eleito pela primeira vez em 1998, Serraglio foi um dos principais aliados do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que teve o mandato cassado por ter mentido numa CPI e agora está preso, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. Serraglio chegou a pedir uma anistia a Cunha, sob o argumento de que, sem ele, o impeachment da presidente Dilma Rousseff não teria sido possível.

Serraglio é formado em Direito pela Faculdade de Direito de Curitiba e mestre em Direito do Estado pela PUC do Paraná. Já foi professor de Direito Administrativo, antes de entrar na carreira política. É do quadro do PMDB desde 1978, quando o partido era o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), a legenda oficial de oposição ao governo militar.

Na Câmara, presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a comissão responsável por analisar a admissibilidade e jurisdicidade de todos os projetos de lei. Foi relator da CPI dos Correios, que investigou denúncias de corrupção na estatal e deu origem às investigações que depois ficaram conhecidas como mensalão.

Membro da chamada bancada ruralista, Serraglio costuma relatar projetos relacionados à demarcação de terras e a regras para desapropriação de terrenos pelo Estado. Também foi membro da CPI da Funai, que investigou denúncias de irregularidade em demarcações de terras indígenas — e não as comprovou.

Como ministro da Justiça, ele comandará os processos de demarcação de terras no país e será o responsável administrativo pela Funai. O MJ chegou a mudar as regras de demarcação, mas voltou atrás no dia seguinte.

Serraglio também será o responsável pelo sistema carcerário, que virou protagonista do noticiário nacional diante das chacinas do início do ano. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 23 de fevereiro de 2017, 19h29

Comentários de leitores

5 comentários

É o que tem pra hoje

Adv. Jackson Oliveira (Advogado Autônomo - Civil)

Com exceção de meia duzia de deputados e senadores, não há nenhum "ficha limpa" para conduzir o governo. Abrir oportunidade do STF presidir o País para convocar novas eleições abre precedente de risco, numa epoca em que o Judiciário já atua legislando em face da imoralidade da qual se reveste a classe política, sob risco de se prolongar o Supremo Tribunal à frente da governabilidade, cassando todas as chapas inscritas...É o que temos para hoje. Deixa ver se conseguem segurar a onda do banditismo Lulista e a vida retomar o seu curso normal num futuro não muito próximo, enquanto não se limpar o congresso nacional.

Excelente quadro jurídico e político

JOSÉ ANTONIO ALMEIDA (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

Conheci Osmar Serraglio em fevereiro de 1999, quando assumimos mandato de Depútado Federal, ele pelo PR e eu pelo MA, com atuação intensa na CCJR e no Plenário. Trata-se de um excelente quadro, tanto do ponto de vista jurídico (é Mestre em Direito Administrativo e foi Professor universitário nessa área) como político. Oriundo do antigo MDB, exerceu diversas funções e relatorias importantes na Câmara, sendo se destacando pela conduta exemplar e pelo notável conhecimento jurídico. De parabéns o Presidente Michel Temer pela escolha.

corrigindo

Luiz Carlos de Oliveira Cesar Zubcov (Advogado Autônomo)

esplendor

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/03/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.