Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sigilo parcial

Empresas de telefonia devem fornecer dados de clientes para investigações

Em casos de investigação criminal, o acesso aos dados cadastrais de clientes é conferido às autoridades policiais graças ao artigo 9° da Lei Nº 9.613/1998 e, desse modo, as empresas de telefonia móvel não podem se recusar a fornecer essas informações.

Com esse argumento, a Advocacia-Geral da União garantiu o acesso da Polícia Federal a dados de clientes da Claro. A companhia havia alegado quebra da inviolabilidade e confidencialidade para não fornecer os registros solicitados .

Em sua resposta, a AGU também lembrou que dados como nome completo, RG, CPF, endereço e filiação não são equiparáveis às informações que necessitam de prévia autorização judicial, como escutas telefônicas ou quebras de sigilo. Com informações da Assessoria de Imprensa da Advocacia-Geral da União.

Processo 0801177-82.2015.4.05.8400

Revista Consultor Jurídico, 20 de abril de 2015, 12h11

Comentários de leitores

2 comentários

Vulnerabilidade & Simetria

João da Silva Sauro (Outros)

Penso que os poderes dados às autoridades policiais necessitam, ao menos, de uma elevada punição caso venham a ser utilizados de formas escusas, com vazamentos e etc. É preciso levar a sério a "inviolabilidade" descrita no artigo 5º.
Vale lembrar que o argumento da AGU na verdade já está na lei, artigo 12-b, inserido em 2012 e criando esse acesso 'extrajudicial'.

Vulnerabilidade da privacidade e sigílo

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Serviços de telefonia móvel e fixa digital, mormente IP são altamente vulneráveis a escutas não autorizadas e invasões de dispositivos móveis.
No tempo da telefonia analógica via cabos, precisava instalar gravador na caixa de distribuição mais próxima. Hoje, como faz a NSA e os Guardiã de autoridades policiais e ministeriais, escuta-se tudo e todo mundo online real time, degrava para texto e indexa ambos por assunto, para cognição investigativa. O Século XXI é um Livro Digital aberto.

Comentários encerrados em 28/04/2015.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.