Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sem supresas

Antonio Oliveira Santos é reeleito presidente da confederação do comércio

O empresário Antonio Oliveira Santos (foto) foi reeleito nesta quinta-feira (25/9) presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) para o período 2014-2018. A votação foi seguida de apuração em reunião do Conselho de Representantes no início da tarde, na CNC, em Brasília.

A chapa de Oliveira Santos obteve 26 dos 28 votos válidos. Houve ainda um voto para a chapa encabeçada pelo presidente da Fecomério do Rio de Janeiro, Orlando Diniz, e um voto em branco. O colégio eleitoral é formado pelas 27 federações dos estados e pelas sete federações nacionais filiadas — pelo regimento da CNC, estas têm direito a um voto conjunto.

A nova Diretoria tomará posse no dia 19 de novembro, em Brasília. Josias Albuquerque, atual vice-presidente Administrativo, será o novo 1º vice-presidente; o vice-presidente José Evaristo dos Santos ocupará a 2ª vice-presidência; e o também vice-presidente Laércio Oliveira assumirá a 3ª vice-presidência. O atual 2º vice-presidente, Darci Piana, será o vice-presidente Administrativo, e Luiz Gil Siuffo continuará à frente da vice-presidência Financeira da CNC.

Em nota, a entidade afirmou que o "processo eleitoral foi realizado com a lisura habitual, respeitando não só as regras estatutárias, como também garantindo aos candidatos a transparência necessária e o direito à ampla defesa, o que assegurou o caráter democrático da eleição". 

A CNC é a entidade sindical que representa 2,2 milhões de empresas do comércio de bens, serviços e turismo. Integra 34 federações patronais (27 estaduais e sete nacionais), que agrupam mais de 950 sindicatos. A confederação também administra o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Briga na Justiça
O único candidato de oposição no pleito, presidente da Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), Orlando Diniz, e as sete federações nacionais que integram a CNC contestam, na Justiça, o processo eleitoral.

Eles questionam o impedimento de voto individual pelas federações e o direito de Oliveira Santos — que está no cargo há 34 anos — de concorrer à reeleição. Segundo as ações, Oliveira não possui mais nenhum estabelecimento nem atividade comercial, por isso não poderia estar no cargo. As ações apontam que tanto Diniz quanto membros de sua chapa já tiveram contas rejeitas, o que os tornaria inelegíveis.

*Texto alterado às 18h51 do dia 26 de setembro de 2014 para acréscimo de informaçoes.

Revista Consultor Jurídico, 26 de setembro de 2014, 7h08

Comentários de leitores

2 comentários

antonio de oliveira

silveira (Consultor)

este senhor esta no cargo desde antes se fundar a cnc, vai pra casa meu senhor , ja deu ....

O esperado

Barchilón, R H (Advogado Autônomo - Civil)

Os caciques nos partidos, assim como os pelegos nos sindicatos, estão em seus estertores com a chegada da LAI e o avanço da democracia participativa. Todavia, por enquanto, as estruturas existentes dão mostras de que continuam a se impor, incapazes de canalizar qualquer mudança no status quo. Essa eleição indireta de gestores de vultosas parcelas do erário é um belo exemplo de como essas coisas de representação da vontade coletiva estão velhas, colocadas em um papel assinado por poucos, enquanto a tecnologia desde há muito permite aos bancos efetuar transações on line com identidade digital. As coisas vão mudar, é certo, só não sei quando...

Comentários encerrados em 04/10/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.