Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Vedação estendida

Senado aprova "ficha limpa" para ingresso no serviço público

O Senado aprovou nesta semana a exigência de “ficha limpa” para o ingresso no serviço público —  em emprego, cargo efetivo ou cargo comissionado —, em todas as esferas dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2012 foi aprovada por unanimidade e, agora, segue para a Câmara. 

De autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT), aprovada na forma de um substitutivo do relator Eunício Oliveira (PMDB-CE), a proposta serviria, segundo o Senado, para “atender às reivindicações dos recentes protestos populares”. O projeto original proibia a nomeação em cargos comissionados e funções de confiança de pessoas em situação de inelegibilidade conforme a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135). O substitutivo votado pelos senadores estende essa proibição para nomeação de servidores efetivos.

Caso a medida seja aprovada, ficam impedidos de assumir cargos públicos aqueles que estão em situação de inelegibilidade em razão de condenação ou punição de qualquer natureza, na forma da Lei da Ficha Limpa, como crimes contra a administração pública, crimes eleitorais e crimes hediondos. O prazo dessa inelegibilidade é de oito anos. Com informações da Agência Senado.

Revista Consultor Jurídico, 2 de março de 2014, 11h51

Comentários de leitores

2 comentários

Ficha Limpa II

Pedro Rocha Pimentel (Funcionário público)

Será que essa lei vai pegar? Porque a outra "ficha limpa"...
Para o principal não há vontade política. A anomalia que são os cargos comissionados perduram em quantidade assustadora, os gastos dispendiosos que a nossa República tem com servidores incompetentes e despreparados, que se aproveitam de seus contatos e conchavos políticos para abocanhar seu lugarzinho ao Sol, tudo em razão dessa aberração no nosso sistema jurídico, descendente dos tempos em que toda a Administração era nada mais que um cabide de empregos. Será que mudou alguma coisa? Enquanto isso, aos mortais: o concurso público.

Servidores

Rafael Gonçalves de Melo Rosa Mendes (Outros)

Em relação aos servidores efetivos já há exigências até maiores do que a prevista na lei das inelegibilidades.

Comentários encerrados em 10/03/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.