Consultor Jurídico

Notícias

Representação da OAB

PF faz operação contra advogados suspeitos de lesar clientes

A Polícia Federal e o Ministério Público do Rio Grande do Sul desencadearam nesta sexta-feira (21/2) uma operação contra um grupo de advogados e contadores suspeitos de lesar mais de 30 mil clientes. Segundo a PF, os valores superariam os R$ 100 milhões. Foram expedidos oito mandados para busca e apreensão em escritórios de advocacia e de contabilidade e em uma residência, nos municípios de Passo Fundo e Bento Gonçalves (RS), além de um mandado de prisão preventiva.

A investigação foi iniciada há dois anos, a partir de representação da Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público Federal. Segundo a PF, uma renomada banca de advogados, com sede em Passo Fundo, captava clientes e ajuizava ações contra uma empresa de telefonia. Ainda de acordo com a Polícia, as ações eram julgadas procedentes, mas o valor recebido não era repassado aos clientes ou era pago em quantia muito menor da que havia sido estipulada na ação.

Apontado como líder da quadrilha pela Polícia Federal, o advogado Maurício Dal Agnol teve o nome incluído na lista de procurados no site da Interpol. Segundo o portal G1, a Polícia diz que ele está nos Estados Unidos. De acordo com a PF, 15 anos atrás Agnol possuía um patrimônio modesto, e hoje é proprietário de centenas de imóveis, avião a jato, automóveis de luxo e milhões de reais em contas bancárias.

A operação foi batizada de Carmelina por ser o nome de uma senhora que teria sido lesada pelo grupo. Ela morreu em decorrência de um câncer. Segundo a PF, ela tinha direito a R$ 100 mil, mas nunca recebeu o valor. Com informações da Polícia Federal.

Revista Consultor Jurídico, 22 de fevereiro de 2014, 11h09

Comentários de leitores

8 comentários

Crime hediondo

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Subtrair o dinheiro de pessoas idosas nesta condição deveria ser crime hediondo, pois advogado é como médico só procuramos quem confiamos, por isso além de tudo trata-se de uma traição, não só aos clientes como à advocacia. No tocante ao famoso caso citado Oliveira neves, outros advogados menos famosos e influentes que utilizavam a mesma pratica de abrir empresas no Uruguai foram condenados.

Liberdade para evitar riscos semelhantes

Prætor (Outros)

As pessoas deveriam poder acessar o Poder Judiciário sem intermediários, se assim preferissem, evitando os riscos que a pobre Sra. mencionada na reportagem, pobrezinha, sofreu, morrendo sem receber os R$ 100 mil que a Justiça lhe garantiu, mas infelizmente não pôde desfrutar em vida.
Se na terra da liberdade, até em matéria penal as pessoas podem se autodefender, por que não aqui?

Conspiração II

Axel (Bacharel)

Cuidado, Pintar. Imagine a quantidade de gente envolvida neste momento num plano macabro para perseguir os advogados, orquestrado pelas mais diversas instituições.
Ainda bem que existe você para nos alertar. Precisamos nos unir antes que nos eliminem. Vamos enfrentar juntos, porque juntos somos fortes. Nós dois, unidos, reuniremos milhões nesta luta contra todos que querem o nosso fim, inclusive a OAB e a polícia. Eles nunca nos vencerão.
Você faz a sua parte denunciando este plano perverso aqui no site e eu faço a minha, propondo o seu nome para secretário-geral da ONU. Tenho certeza que quando você chegar lá, estaremos preparados para enfrentar esta ameaça, que tanto preocupa nossa classe.
Nunca seremos exterminados. Nunca.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/03/2014.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.