Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Captação de informações

TJ-SP implanta controle de movimento judiciário

Em virtude da necessidade de melhora no sistema de captação de informações relativas à movimentação processual de primeira instância, para aperfeiçoar o trabalho e a produtividade das unidades judiciais e para modernizar o Controle do Movimento Judiciário, os juízes assessores da Corregedoria-Geral da Justiça elaboraram nova planilha unificada para o sistema com o apoio da Secretaria da Tecnologia da Informação (STI), do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Antes desse novo modelo, as unidades judiciais regularmente preenchiam planilhas com os mais diversos dados, como quantidades de processos em andamento, funcionários lotados nos ofícios e audiências e incidentes processuais em geral. Havia planilhas específicas para cada tipo de unidade (cível, criminal, família, entre outros), que eram encaminhadas para o Tribunal de Justiça e outras, análogas, enviadas para o Conselho Nacional de Justiça. O preenchimento dessas planilhas demandava muito tempo e, frequentemente, era necessário executar levantamento de dados não informados, ocupando ainda mais os funcionários.

Embora em princípio pareça complexo, após toda a sua implantação (que deverá ocorrer até o fim de 2013), o novo sistema unificado de planilhas deve  propiciar economia de tempo no seu preenchimento, avanços tecnológicos e inclusão de novos dados de aferimento, para atender as necessidades do TJ-SP e do CNJ.

O sistema permite que, dentro de um futuro próximo, seja abolida a necessidade, ainda que em parte, da colheita manual de dados, pois será possível utilizar recursos de ferramentas de informática já disponíveis no Tribunal de Justiça, além de possibilitar a interligação com informações extraídas dos sistemas SAJ/PG, Sidap/Sivec e importação total do acervo do sistema Wingati, solução de propriedade do TJ-SP sem custos adicionais. Para seu desenvolvimento, foi utilizado contrato de prestação de serviço já existente e funcionários do próprio tribunal. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

Revista Consultor Jurídico, 9 de maio de 2013, 15h13

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 17/05/2013.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.