Consultor Jurídico

Amicus curiae

SP entra em ação contra voluntariado na PM

O estado de São Paulo vai entrar como amicus curiae na ação que discute a constitucionalidade da lei federal que permite a criação de cargos de voluntário nas polícias militares e nos corpos de bombeiros dos estados. A entrada do estado na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.173 foi admitida pelo ministro Cezar Peluso, relator do caso no Supremo Tribunal Federal.

A ADI foi ajuizada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil contra a Lei Federal 10.029/2000 e São Paulo pôde entrar no processo porque a lei estadual que institui o serviço auxiliar voluntário na PM paulista foi editada com base na lei federal questionada. Atualmente, o estado responde a diversas ações de pessoas que exerceram as funções previstas na lei e, agora, pedem benefícios trabalhistas ou destinados a servidores públicos.

Não é só em São Paulo que o problema tem ocorrido. Dois voluntários da Polícia Militar do Acre tiveram reconhecido o direito de receber férias, décimo terceiro e terço constitucional pelo tempo que serviram à Polícia. Os dois acreanos entraram na Justiça cobrando direitos trabalhistas depois de terem atuado como voluntários. A juíza responsável pelo caso afirmou, na ocasião, que tanto a Lei estadual do Acre 1.531/2001, que cria os cargos, quanto a Lei federal 10.029/2000, que permite sua criação, são inconstitucionais.

A própria ADI 4.173 foi utilizada pela juíza Larissa Pinho de Alencar Lima para explicitar que o que as leis classificam como “auxílio mensal” a ser pago aos voluntários é, na verdade, remuneração. “Pouco importa que a lei tenha dado a esse auxílio a natureza de indenização, porque não existe indenização para a prestação continuada de serviço público”, pontua. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

ADI 4.173




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de maio de 2012, 17h59

Comentários de leitores

2 comentários

"Voluntário"

Florencio (Advogado Autônomo)

A Lei foi elaborada de forma errada! Se é voluntário, não poderia estar previsto um auxílio! Deveria o serviço ser considerado um munus público! Em outros países existe esse voluntariado, mas sem esse "auxílio". O Estado fornece os uniformes e o material necessário ao trabalho!
Aqui no Brasil quiseram inovar! Brasileiro é esperto! Taí no que deu! Os tais "voluntários" não se contentaram com o "auxílio"!
E vamos, que vamos!

Perigo para a corporação

Pek Cop (Outros)

Voluntarios despreparados e de procedência desconhecida, são um risco iminente para a Polícia Militar.

Comentários encerrados em 07/06/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.