Consultor Jurídico

Escutas ilegais

Juiz que condenou Pinochet é afastado da magistratura

O juiz Baltasar Garzón não poderá exercer atividades ligadas à magistratura por 11 anos por ter ordenado escutas ilegais. A condenação por desqualificação profissional foi determinada pelo Supremo Tribunal espanhol. Garzón é conhecido por ter julgado o ex-ditador chileno Augusto Pinochet, em 1998, sendo a primeira condenação que o ex-chefe de Estado recebeu. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a Justiça da Espanha, Garzón prejudicou o direito de defesa, ao ordenar a gravação de conversas na prisão entre advogados e seus clientes, supostos chefes de rede de corrupção que, em 2009, envolveu altos cargos do PP (Partido Popular), que hoje governa o país.

O juiz foi acusado, ainda, de abuso de poder e de ter infringido a Lei de Anistia votada em outubro de 1977, dois anos depois da morte de Francisco Franco, que impôs um pacto de silêncio sobre os anos negros da Guerra Civil (1936-39) e da ditadura (1939-75).




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 9 de fevereiro de 2012, 12h08

Comentários de leitores

8 comentários

Ora, pois...

Richard Smith (Consultor)

"Professor" de PeTralhices, é claro.
.
E como sempre, com as mais risíveis "opiniões" e "raciossímios". Essa ele deve ter tirado de alguma cartilha apanhada lá no Diretório.

quem me dera ser defensor...

Ricardo T. (Outros)

Daniel, quem me dera ser defensor, bem que eu gostaria. ainda estou na Facu (terceiro ano) e gosto de ser chamado de concurseiro porque os caras destroem. Sabem tudo.! Se eu fosse defensor, já estaria com meu burro na sombra. Mas, estou estudando para ser dono de cartório, comecei no segundo ano da facu. Quero um cartório filé. Abração Daniel

Professor de quê?

Ronaldo dos Santos Costa (Advogado Sócio de Escritório)

Pobre do povo que tem um professor como o sr Armando do Prado!!!! Regras, principamente as constitucionais, devem ser respeitadas, sem casuísmos!!!!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/02/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.