Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Política de Ordem

Pré-candidato à OAB-PB mira jovem advogado

Por 

Com o boom de universidades no Brasil, o jovem advogado se tornou maioria em locais onde havia pouco acesso à formação. É o caso da Paraíba, diz Marcos Souto Maior Filho, pré-candidato à seccional paraibana da Ordem dos Advogados do Brasil. Com foco no eleitorado recém saído dos bancos escolares, o advogado que tem 34 anos — e advoga há dez — se apresenta como uma terceira via “para fugir do revezamento de grupos [políticos] que é feito na OAB-PB”.
Nas contas do pré-candidato, mais de 70% dos advogados ativos no estado são jovens e a maioria não se identifica com a atual gestão, de Odon Bezerra. “Pretendemos abrir a OAB aos jovens, que militam há pouco tempo e têm poucas causas, que são minoria no conselho da seccional.”
Sem desviar a mira de seu público-alvo, Souto Maior Filho afirma que a seccional paraibana tem se preocupado com questões distantes do dia a dia do operador do Direito. “Enquanto o advogado tem suas prerrogativas aviltadas nos tribunais, a OAB-PB oferece descontos em entrada de cinema, faz campanha pela paz no trânsito e luta para instalar um contador de homicídios em João Pessoa”, reclama.
Segundo as contas dele, a seccional tem 18 mil inscritos, 5 mil que pegaram a carteira nos últimos dois anos.

Cena de cinema
Nos preparativos para o maior evento para sua pré-candidatura à OAB-SP, o advogado Roberto Podval buscou conversar com grandes escritórios. Foi recebido pelos sócios do Pinheiro Neto e no escritório de Luis Olavo Batista, onde conversou sobre a campanha e convidou os advogados ao coquetel que dará no Club Homs na próxima quinta-feira (19/4). No evento, será distribuída a carta de apresentação da pré-candidatura. O material traz elementos do cinema, com a intenção de ilustrar a trajetória do criminalista. “Hoje posso me orgulhar de ter defendido e defender algumas das causas mais difíceis do país”, diz o material, que pode ser conferido aqui. O advogado também foi a encontro com professores e alunos de Direito da Universidade de São Paulo.

De volta
Na última semana, o pré-candidato à presidência da OAB-SP Ricardo Sayeg visitou as cidades de Araçatuba e São Roque, em conversas com advogados e com a mídia local. Em Araçatuba, há dez anos, ele foi um dos responsáveis pela criação do curso de mestrado na Faculdade de Direito do Centro Universitário Toledo. Na última visita, o criminalista respondeu a perguntas, com foco no exercício e na valorização da advocacia. Vale registrar também que a campanha de Sayeg recebeu o apoio do advogado José Eduardo Mônaco, que integrou, junto com ele, a chapa do candidato Rui Celso Reali Fragoso, que ficou em segundo lugar na última eleição da OAB-SP.

Crítica ácida
Nesta segunda-feira (16/4), o pré-candidato à OAB-SP Alberto Toron marcou um jantar com “lideranças de Jundiaí”. Na última semana, em seu tour pelo interior, Toron reuniu cerca de 90 advogados da subseção de Santa Bárbara D’Oeste em uma pizzaria. No local, o coordenador da pré-campanha de Toron, Antônio Ivo Aidar, aproveitou para alfinetar o atual presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso. “Toron é advogado, não um boneco midiático como o atual presidente, que colocou a OAB a serviço da sua política partidária”, disse o advogado.

Reflexão coletiva
Nesta terça-feira (17/4), Rosana Chiavassa, pré-candidata ao cargo de Luiz Flávio Borges D’Urso, irá reunir-se com correligionários de Itaquera, na zona Leste de São Paulo. A ideia é analisar as sugestões que foram dadas até esse momento da campanha e discutir questões táticas.

Baixa temperatura
No Rio de Janeiro, ao contrário do que diz a previsão do tempo, o clima está frio, pelo menos para as eleições da OAB-RJ. O presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz, continua como único pré-candidato, mas não se pronunciou sobre eleições, como parece conveniente a pré-candidatos de situação.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 16 de abril de 2012, 19h32

Comentários de leitores

2 comentários

Presos ao passado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Ainda esses dias eu via um programa da OAB na "TV Justiça". Basicamente a reportagem dizia blá-blá-blá fulando é o máximo, e depois blá-blá-blá-blá-blá cicrano foi presidente disso e daquilo, e mais blá-blá-blá-blá. Todo mundo sabe que tal tipo de abordagem não é mais aceita nos dias de hoje, embora no passado, quando a massa da população era formado por iletrados, isso impressionava muito.

Falta de afinidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

De fato, os métodos antiquados da OAB, seguidos à risca pelos grupos políticos que se revezam, não são mais aceitos pelos mais novos. A maior parte sente vergonha da Instituição, e evitam até mesmo se identificar como advogado.

Comentários encerrados em 24/04/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.