Consultor Jurídico

Noticiário Jurídico

A Justiça e o Direito nos jornais desta quinta

Os jornais Valor Econômico e O Estado de S. Paulo noticia que mesmo gastando mais do que previsto, o Poder Judiciário gerou um estoque de quase um milhão, ou exatos 989.321, de novos processos sem julgamento em 2010, quando a meta definida era não acumular nenhum processo proposto à Justiça durante o ano. Assim, o número de casos não julgados deve passar dos 86,5 milhões registrados em 2010. Os números fazem parte de levantamento do Conselho Nacional de Justiça. A avaliação da produtividade da Justiça será divulgada oficialmente nesta quinta-feira, 27 dias antes da greve por melhores salários marcada por juízes federais.


Mordomias
O Ministério Público do Rio de Janeiro revelou que, em uma inspeção realizada na carceragem da Polinter em Nova Iguaçu, promotores descobriram que alguns presos gozavam de certas mordomias. Trinta e sete deles ocupavam celas diferentes dos demais, nas quais havia aparelhos de ar-condicionado, frigobar, televisão, microondas, fogão e vídeo-game. Peritos convocados pelo MP constataram também que, para manter esses aparelhos funcionando, foram realizadas ligações da parte elétrica interna com fios dos postes da rua, o que, para os promotores, caracteriza furto de energia. A notícia é do Jornal do Brasil.


Fraude na campanha
De acordo com o jornal Correio Braziliense, a eleição da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, está sendo questionada no Tribunal Superior Eleitoral por duas ações que pedem a cassação do diploma que permitiu que ela e seu vice, Joaquim Washington de Oliveira, tomassem posse nos cargos. Em ambos os casos, os autores afirmam que houve abuso de poder político e econômico e uso indevido dos meio de comunicação durante a campanha eleitoral.


Prefeito solto
Os jornais O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil noticiam que a Justiça de São Paulo mandou soltar o ex-prefeito de Jandira (SP) Paulo Bururu Henrique Barjud, que foi preso em flagrante com duas armas sem registro em sua residência, durante uma operação do Ministério Público e da Polícia Civil contra corrupção no município. De acordo com a assessoria de imprensa da Justiça, ele foi detido pela manhã e liberado no mesmo dia no período da noite. O motivo ainda é averiguado.


Organizações sociais
O Supremo Tribunal Federal julga uma ação apresentada em 1998 pelo PT e pelo PDT. Os partidos pedem a revogação do artigo da Lei 9.648/98 que dispensa licitação para a celebração de contratos do governo com as chamadas organizações sociais. Os convênios, usados com frequência por pelo menos 14 estados e pela União, são destinados à prestação de serviços públicos de ensino, pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico, proteção e preservação ao meio ambiente, cultura e saúde, informa o jornal Correio Braziliense.


OPINIÃO
Justiça célere
O jornal Folha de S.Paulo traz editorial sobre projeto do Tribunal de Justiça de São Paulo de acelerar os julgamentos. “Entre as cem instituições com mais ações tramitando, o setor público federal e os bancos respondem por 76% dos processos, segundo pesquisa feita pelo CNJ. Trata-se, evidentemente, de uma distorção que precisa ser analisada e combatida. Muitas ações e recursos são apresentados não com o intuito de buscar Justiça, mas apenas de ganhar tempo”, diz trecho do editorial.


Greve da Ajufe
Ao comentar a greve dos juízes federais, editorial do jornal O Estado de S. Paulo diz que “as iniciativas da Ajufe podem gerar graves problemas institucionais. Em primeiro lugar, ao pedir que o STF determine o aumento da magistratura independentemente do Congresso, a entidade está estimulando um perigoso confronto entre os Poderes. Em segundo lugar, se aumentarem seus vencimentos atropelando o Congresso, os ministros do STF estarão decidindo em causa própria, o que comprometerá sua autoridade. E, por fim, se entrarem em greve, como estão ameaçando, os juízes federais estarão descumprindo a Constituição”.


COLUNAS
“Como gambá”
A coluna “Ancelmo Gois”, do jornal O Globo, noticia que a 16ª Câmara Cível do Rio de Janeiro condenou a Sony a pagar R$ 300 mil mais correção (cerca de R$ 1,2 milhão no total ) ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos numa causa do movimento negro e do advogado Humberto Adami. “A sentença se refere a um caso em que Tiririca cantava num CD de 1996 que mulher negra ‘fede como gambá’”, diz.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 31 de março de 2011, 10h22

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/04/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.