Consultor Jurídico

Finanças lesadas

São Paulo quer aplicar teto para pensionistas da Vasp

O governo de São Paulo pediu ao Supremo Tribunal Federal que interrompa os efeitos das decisões que impedem o estado de aplicar o teto salarial aos agentes fiscais de renda e aos pensionistas de ex-funcionários da Vasp. Por meio de Suspensão de Segurança, o estado alega que as decisões estão causando grave lesão à ordem e às finanças públicas.

As decisões questionadas foram concedidas em Mandados de Segurança que tramitam nas 2ª, 4ª e 12ª Varas da Fazenda Pública da capital. Nestas ações, os servidores questionam o teto salarial instituído pela Emenda Constitucional 41/2003 e afirmam que seus vencimentos, proventos e pensões estão sofrendo redução indevida.

Porém, de acordo com o governo do estado, a aplicação da EC 41/03 está adequada ao artigo 17 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, de 5 de outubro de 1988, ou seja, se os valores recebidos por servidores ativos ou inativos forem reduzidos, não poderá haver invocação de direito adquirido.

O Decreto 48.407/04, do governo do estado, em seu artigo 1º, estabelece que, para a aplicação do limite citado pela EC 41/03, deve ser considerado o valor do subsídio mensal do chefe do executivo estadual. Como o salário recebido pelo governador era inferior ao recebido pelos servidores, eles recorreram à Justiça, que atendeu aos pedidos concedendo liminares.

O estado recorreu ao Supremo com o objetivo de suspender as decisões da primeira instância “a fim de cessar a grave lesão à ordem e finanças públicas”. Segundo o governo de São Paulo, a aplicação do teto salarial deve ser mantida, pois a emenda constitucional foi criada para suprimir as brechas ao recebimento de remunerações excessivas no serviço público.

Além disso, a manutenção dos salários acima do teto causa lesão à ordem econômica, pois uma projeção da Secretaria de Estado da Fazenda indica que o gasto será de mais de R$ 100 milhões por mês e de R$ 1,3 bilhão por ano. A ação está sob análise da Presidência do STF. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

SS 4.272




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de setembro de 2010, 2h36

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/09/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.