Consultor Jurídico

Resíduo tóxico

Responsável por vazamento na Hungria é preso

A Hungria prendeu o responsável pelo vazamento tóxico que atingiu o rio Marcal. O diretor-geral da indústria de alumínio MAL, Zoltán Bakonyi, foi preso nesta segunda-feira (11/10). A empresa é proprietária do dique que originou a contaminação. As informações são do portal R7.

De acordo com o primeiro-ministro do país, Viktor Orbán, a MAL está sob controle direito do Estado. Ele disse que será criado um cargo de Comissário de Defesa para Catástrofes, destinado à supervisão, à direção e à condução dos bens da fábrica. “A empresa que causou a catástrofe do "barro vermelho" deverá ser dirigida pelo Estado. Não podemos seguir vivendo com perigos secretos”, declarou.

Ele disse, ainda, que os responsáveis serão punidos e os prejudicados serão indenizados pela empresa. “Os responsáveis pelo incidente, que causou ao menos sete mortes, além de ter deixado mais de cem feridos, serão castigados mediante um processo severo e justo”.

Desde a segunda-feira passada (4/10), quando o resíduo de processamento de alumínio vazou, as atividades da empresa estão suspensas. No entanto, as atividades serão retomadas.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2010, 12h01

Comentários de leitores

1 comentário

the king can do no wrong

joão gualberto (Advogado Autárquico)

Parece que a empresa estava ao largo dos controles ambientais devidos. Se por culpa dela ou do Estado não sabemos. Agora todo o poder do Estado se volta contra a empresa, como se o mundo começasse com a catástrofe ocasionada. Quer nos parecer que, no caso, mais uma vez, a corda estourou do lado do mais fraco. O Estado querendo se fazer passar por não responsável, quando, talvez, tenha sido até então, irresponsável, ou seja, o velho preceito: the king can do no wrong !

Comentários encerrados em 19/10/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.