Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dia de louco

Homem invade tribuna e tumultua sessão do STF

Por 

Após ter feito manifestação no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). Rana Iaube Alexandre foi rapidamente imobilizado e retirado pelos seguranças - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal passou por uma situação inusitada nesta quinta-feira (25/3). O ministro Marco Aurélio estava dando seu voto no julgamento do Inquérito 2.727 quando um homem assumiu lugar na tribuna e disse que tinha uma denúncia a fazer. Ele foi imediatamente contido pela segurança do STF e deu trabalho para ser retirado à força do plenário.

O homem, que agiu sozinho, disse que “é a voz do trabalhador” e que veio do Rio de Janeiro para Brasília, pois queria denunciar “o nepotismo e a safadeza” no Supremo. Visivelmente confuso e nervoso, o rapaz de aproximadamente 35 anos não dizia coisa com coisa. Disse que “era para ser advogado, mas não foi possível exercer a profissão”. Também afirmou que tem “um domínio de internet”. Em seguida, ouvido pelos jornalistas que atuam no STF, disse: “Sou advogado e vim denunciar a bandidagem aqui. Isso aí é um bando de safado, roubando todo mundo e só ficam protelando as coisas”. 

A segurança apenas retirou o rapaz das dependências do Supremo, mas a polícia não foi chamada. O ministro Cezar Peluso, que presidia a sessão, suspendeu os trabalhos imediatamente. O ministro Marco Aurélio ainda teve tempo de dizer que ficou sem saber se a denúncia era contra ele.

INQ 2.727

[Foto: Agência Brasil]

 é correspondente da Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 25 de março de 2010, 16h51

Comentários de leitores

5 comentários

IMPREVIDÊNCIA

Silveira Ribeiro (Advogado Autônomo - Civil)

O STF precisa levar mais a sério o problema de segurança, deixando esta tarefa aos profissionais desta área e submeter-se a ela.
O que está sob risco é mais que a exposição da segurança pessoal dos Senhores Ministros, o que por sí é assustador.
Mais exposto está o Estado de Direito Democrático que é personificado justamente pelo STF.
Se houver uma ação criminosa durante uma sessão da Suprema Côrte, vai denegrir a imagem do país e suas instituições, estas já sob severa crítica da comunidade internacional devido a reiteradas e previamente anunciadas ações ilegais e impunes do MST.
A crítica internacional vai voltar a encarar o Brasil como um país instável e institucionalmente pouco confiável, imagem esta que estava sendo apagada a duras penas.
Assim, a segurança dos Srs. Ministros do STF não pertence a êles, mas à sociedade para a qual estes H. Juízes prestam seus deveres constitucionais e disto devem prestar contas.
Aguarda-se do Exmo. Sr. Presidente do STF uma manifestação oficial, em rêde nacional de rádio e televisão, relatando o ocorrido e anunciando quais medidas foram implantadas para que jamais volte a ocorrer fato semelhante.
Márcio da Silveira Ribeiro
OAB-SP 136.204

O STF PRECISA DE CUIDADOS! HÁ LOUCOS SOLTOS!

Irani de Souza Araujo Leal Ferreira (Advogado Autônomo)

O Supremo precisa tomar mais cuidado com as pessoas que são visitantes. Há muitos malucos soltos por aí.
Imaginem se esse maluco estar armado? Que perigo estão correndo. Devem ser cautelosos os seguranças.
Redobrem os cuidados.
Irani de Souza Araújo Leal Ferreira - Advogada em Brasília.

...

Winston Smith (Servidor)

Se for advogado ele pode subir e dizer o que deseja. É impressão minha ou ele foi tirado pelos seguranças pq subiu a tribuna para falar?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/04/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.