Consultor Jurídico

Alvos de investigação

MPF diz que doleiro não citou Bancoop em depoimento

O Ministério Público Federal em São Paulo afirmou que o material que recebeu da Procuradoria-Geral da República, que serviu de base para denunciar o doleiro Lúcio Bolonha Funaro por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro em 2008,  não menciona o ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), João Vaccari Neto, atual tesoureiro do PT. Vaccari é alvo de investigação do Ministério Público estadual paulista. A informação é da Agência Brasil.

O MPF diz que, segundo os depoimentos de Funaro, este e seu sócio, José Carlos Batista, utilizaram-se da empresa Garanhuns Empreendimentos para dissimular a transferência de R$ 6,5 milhões da agência de publicidade SMP&B, de Marcos Valério, ao antigo Partido Liberal (PL). "São sobre essas operações de lavagem de dinheiro que trata o processo, que tramita normalmente perante à 2ª Vara Federal. A última movimentação processual constante é de fevereiro de 2010", diz a nota do MPF-SP.

A nota informa que a procuradora Anamara Osório Silva, autora da denúncia oferecida em junho de 2008 e que levou à ação penal que tramita na Justiça contra Funaro e Batista, não pode confirmar se o depoimento concedido por Funaro em Brasília se deu por delação premiada.

A Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado, que investiga organizações não governamentais, convocou Vaccari para depor, na próxima terça-feira (23/3), sobre denúncias de irregularidades na aplicação de recursos de fundos de pensão públicos pela cooperativa. Também foram convocados o promotor de Justiça José Carlos Blat, responsável pela investigação do caso pelo Ministério Público estadual paulista, Funaro e Hélio Malheiro, que afirmou haver desvio de dinheiro da cooperativa para financiamento de caixa dois de campanhas eleitorais.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2010, 21h47

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/03/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.