Consultor Jurídico

Notícias

Crise em Honduras

Militares que prenderam Zelaya serão processados

Os comandantes das Forças Armadas que prenderam o ex-presidente de Honduras Manuel Zelaya, em junho de 2009, e o expulsaram do país serão processados pela Corte Suprema hondurenha. A ação foi movida pelo Ministério Público hondurenho que acusa os militares de abuso de autoridade e expatriação ilegal. As informações são da Agência BrasiI.

O presidente da Corte Suprema, Jorge Rivera, afirmou que vai ouvir os comandantes militares na próxima quinta-feira (14/1). Preocupado com as repercussões, o juiz alertou que o local escolhido para ouvir os comandantes deve ter segurança garantida. Segundo ele, a escolha deve considerar ainda a comodidade dos denunciados.

Determinado a assumir o poder, Zelaya retornou a Honduras e está abrigado na Embaixada do Brasil na capital hondurenha há cerca de quatro meses. Zelaya tem uma ordem de captura por vários crimes relacionados a uma consulta popular que pretendia fazer para promover uma Assembleia Constituinte no dia 28 de junho, mesmo dia em que os militares o detiveram e o expulsaram do país e quando o Parlamento designou Roberto Micheletti em seu lugar. O país fez eleições presidenciais em novembro.

Revista Consultor Jurídico, 11 de janeiro de 2010, 18h55

Comentários de leitores

3 comentários

e a petralhada , não vai junto pro banco??????

hammer eduardo (Consultor)

Concordo com os Comentaristas anteriores que é apenas muita "espuma" para dar uma palida satisfação a comunidade internacional calhorda e hipocrita que ajuda pouco aquele humilde Pais mas adora dar pitaco quando não convidada para tal.
Hoje com um novo Presidente eleito , a petralhada suja ainda não mandou aquele beocio do zelaya sair de fininho da embaixada , de repente ele ja se filiou aos vagabundos do MST e agora virou "posseiro de embaixada". Cabe perguntar tambem ao apedeuta e aquele pernostico de barbicha que norteou a trapalhada brazuca em Honduras a respeitro de "qual autoridade eles ACHAM que tem para trabsformar a nossa Emabixada em Honduras numa casa de tolerancia a nivel internacional?"
Agora que a onda principal ja passou , a petralhada se finge de morta torcendo para que ninguem se lembre da gigantesca LAMBANÇA a nivel internacional nesta explicita intervenção nos assuntos internos de uma Nação soberana que é Honduras.
Lula como sempre "foi na onda" estimulado por aquele retardado mental do chavez e "mal guiado" por aqueles dois elementos de barbichinha com aparencia de sujeira na figura do celsinho "tamborim" e o marquinhos top top garcia , elemento de altissima periculosidade nas hordas petistas e que via de regra pouco aparece.
Se isto aqui não fosse esta ZONA DESMORALIZADA , todos os atores tupiniquins desta opera bufa deveriam ter sido EXPULSOS do governo , começando pelo apedeuta que se especializou no sequestro de barrigas roncantes dos esfomeados da hora que dão seus 84% de aprovação , so aqui mesmo. Ta na hora de botarmos a Bruna Surfistinha de candidata a presidencia , afinal de p...... ela entende e bem! Que nojo!

RESPEITO à constituição.

Paulo Mendonça Souza (Advogado Autônomo - Civil)

Zelaya estava prestes a resgar a constituição hondurenha, e porisso foi preso. Se não houvesse a interferência das forças militares, quem sabe até execuções teriam acontecido a mando de Zelaya, porque quando um governante pretende se perpetuar no poder, tudo para ele é possível; todos os meis justificam sua finalidade, sejam quais forem. O Poder Judiciário de Honduras, agora tem a obrigação legal de estabilizar o regime democrático, não com decisões vingativas, mas sim, de cunho estritamente legal, para que a paz volte a contemplar o povo hondurenho e o país siga seu rumo de progresso, sem ditadores, sem déspotas, sem donos. O país é do povo e o povo é quem governa através de seus legítimos representantes, e a constituição é uma bíblia política. Tem que ser respeitada e não reescrita a cada momento, para a satisfação somente de alguns.

Mero "teatro", mero "jogo de cena"

Milton Córdova (Advogado Autônomo)

É evidente que essa decisão trata-se de mero teatro, pois os militares que prenderam o Zelaya apenas cumpriram (e muito acertadamente, diga-se de passagem) ordens superiores, além de defenderem a Constituição daquele Pais. Assim, agiram, ao meu ver, em total conformidade com a Constituição hondurenha.

Comentários encerrados em 19/01/2010.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.