Consultor Jurídico

Esquema da pirâmide

Madoff admite culpa e pode pegar 150 anos de prisão

O especulador norte-americano Bernard Madoff, 70, declarou-se culpado na quinta-feira (12/3) em um tribunal de Nova York das 11 acusações contra ele. Ele ficará preso no Centro de Correções de Manhattan até que saia a sua condenação em 16 de junho. O esquema pirâmide de Madoff, considerado um dos maiores escândalos financeiros da história, causou perdas a mais de 4.800 clientes.

Madoff deve passar o resto da vida preso. A punição máxima para cada um dos crimes admitidos soma 150 anos. Foi a primeira vez, que Madoff admitiu publicamente o calote de quase US$ 50 bilhões (R$ 115 bilhões). Ele se disse profundamente "arrependido e envergonhado". Ao ser questionado pelo juiz, o especulador imediatamente respondeu que é culpado. Com isso, ele evita que o caso seja levado a um júri popular. O tribunal abriu 25 processos contra o financista.

Segundo as agências de notícias internacionais, Madoff aparentava nervosismo durante o interrogatório. Ele declarou-se culpado principalmente de fraude, lavagem de dinheiro e roubo. “Não posso expressar adequadamente o quanto sinto por ter cometido esses crimes”, disse ao tribunal. O financista estava em prisão domiciliar em sua cobertura em um bairro nobre de Nova York desde 11 de dezembro.

Uma vítima do financista, Bennett Goldworth, disse à CNN que a fraude tumultuou a sua vida. "Tive de deixar meus negócios. Mudei-me da Flórida. Eu tive de recomeçar tudo. Agora, com 52 anos tenho de voltar a Nova York para morar com meus pais", lamentou Goldworth, explicando ter investido quase US$ 4 milhões.

Em um esquema de pirâmide, o dinheiro de novos investidores é usado para pagar os investidores mais antigos. Madoff relatou que não investiu o dinheiro que recebia de seus clientes. Simplesmente depositava os fundos em uma conta no banco Chase em Manhattan e fazia retiradas da mesma conta para pagar supostos lucros.

Segundo suas declarações, desde os anos 1990, ele se esforçou para que o fundo proporcionasse retornos acima da média do mercado aos clientes. Os lucros prometidos eram de até 46% ao ano. Quando a crise estourou, o surto súbito de retiradas fez o esquema ruir.

O esquema era global e envolveu fundos de hedge, grupos sem fins lucrativos e celebridades como o jornalista Larry King e o diretor Steven Spielberg. No Brasil, advogados dizem que investidores perderam dezenas de milhões de dólares com aplicações. Os investimentos, aparentemente, não foram feitos diretamente com Madoff, mas por meio de bancos como Safra, Santander e UBS e do fundo americano Fairfield.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 13 de março de 2009, 14h26

Comentários de leitores

3 comentários

EUA e o Estado Democrático

Quintela (Engenheiro)

Os EUA tem muito o que aprender com a Justiça brasileira!
Lá banqueiro bandido é preso e algemado!
Aqui não!
Não se pode algemar bandido!
Não se pode prender banqueiro bandido até todo o processo transitado e julgado... o que leva algo de 20 a 40 anos... e o crime prescreve!
Para brasileiro ver justiça tem que ser assim... vindo dos EUA, berço da Democracia, do verdadeiro Estado de Direito!
Lá não tem estado policialesco!

ele foi ingenuo!

hammer eduardo (Consultor)

Segundo consta na grande Imprensa, o "Bernie" como é chamado por la , bateu a carteira de muita gente perfumada local porem de muitos brasileiros "espertissimos" tambem , ja pensaram que delicia descobrir os nominhos pomposos dessa "tchurma de ispertus"?
Acho apenas que o Bernie foi ingenuo pois se tivesse visto a tempo o tamanho do embrulho em que se meteu , bastaria dar no pé para o Brasil e certamente seria recebidos de braços abertos , afinal adoramos vagabundos internacionais. Com a grana que ele botou no bolso , certamente contrataria os serviços de um "famoso adevogadio" paulista de longos bigodes que em fração de segundos "arranjaria" um status de perseguido politico da "ditadura" de Barack Obama , depois o "ministru" do esquema daria o asilo e PRESTO! Legalizada a estadia do simpatico e perfumado meliante no Brasil. Afinal, apesar de roubar apenas a bagatela de 60 bilhões de dolares , certamente ele viraria um palestrante de sucesso nessas terras tupiniquins que adoram bajular um marginal, alguns ate conseguem se eleger para "as duas casas"
Sinceramente , apesar da impressionante quantidade de grana que ele botou no bolso , seria considerado um "mero amador" por aqui onde quantias bem maiores ja devem ter sido surrupiadas dos cofres publicos varias vezes nos ultimos anos.
Vai nessa Bernie , de um jeito de "dar o pinote" para o Brasil que a tchurma do 171 te receberá de braços abertos e certamente ficará avida por suas consultorias..............

Bernardo Madoff

Vianna (Advogado Autônomo)

Quero ver como é que Madoff vai fazer para gastar toda a fortuna surrupiada dos panacas de Wall Street, nessas prisões horrorosas, com direito a sauna, massagem,campo de golf, amantes e frigobras. Tadinho dele...

Comentários encerrados em 21/03/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.