Consultor Jurídico

Competência dos estados

CNT contesta lei sobre validade de passagens

A Confederação Nacional do Transporte ajuizou, no Supremo Tribunal Federal, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade contra o artigo 1º da Lei Federal 11.975/09, que trata da validade por um ano dos bilhetes de passagem no transporte coletivo rodoviário intermunicipal, interestadual e internacional.

Segundo a CNT, a lei deve ser considerada inconstitucional por ter incluído o vocábulo intermunicipal em seu texto, já que a competência para legislar sobre transporte nos municípios é dos Estados-membros da Federação e não da União. De acordo com o artigo 22 da Constituição Federal, a União deve legislar sobre transporte rodoviário interestadual e internacional, apenas.

Há, ainda, a alegação de que as questões de interesse regional são pertinentes somente aos Estados. A CNT crescenta também que a lei “determina o cumprimento de obrigações onerosas, as quais extirpam parte do lucro das delegatárias de transporte, agride o direito de propriedade e o princípio da livre iniciativa”. Com informações da Assessoria de Imprensa do Conselho Nacional de Justiça.

ADI 4.289




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2009, 9h55

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/08/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.