Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Voto sem marca

TSE não autoriza patrocínio em cabines de votação

Nas eleições municipais deste ano, não haverá cabinas de votação cedidas por empresas interessadas em divulgar sua marca. Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral decidiram, por unanimidade, na sessão administrativa desta terça-feira (27/5), não aceitar proposta das empresas para o fornecimento.

A oferta levava em conta o fato de que um patrocínio reduziria os custos da aquisição dos suprimentos para a realização das eleições municipais de 2008. Ao avaliar a proposta, o relator do Processo Administrativo (PA 19903), ministro Caputo Bastos, entendeu que não era viável aceitar o patrocínio devido às especulações que tal fato poderia gerar. “O custo da democracia é intransferível”, disse o relator.

De acordo com o ministro, para as eleições de 2008 serão adquiridas 237 mil cabinas convencionais e 5 mil cabinas dobráveis (para regiões de difícil acesso), a um custo total de R$ 675 mil.

Revista Consultor Jurídico, 28 de maio de 2008, 0h01

Comentários de leitores

2 comentários

As empresas querem abrir um precedente para atu...

Barreto (Advogado Autônomo)

As empresas querem abrir um precedente para atuarem d maneira mais incisiva num futuro não muito distante, decisão bastante acertada dos ministros do TSE.

Um bom patrocinio seria o de CAMISINHA...

Luiz P. Carlos (((ô''ô))) (Comerciante)

Um bom patrocinio seria o de CAMISINHA...

Comentários encerrados em 05/06/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.