Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Infecção hospitalar

Indenização por danos em cirurgia deve ser reajustada

A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou o reajuste de uma indenização por danos morais e estéticos para uma mulher que teve a bexiga perfurada e uma infecção hospitalar. Ela fez a cirurgia no hospital da Universidade Federal de Minas Gerais. Cabe recurso.

O desembargador federal Souza Prudente disse que a indenização por danos materiais deve permanecer nos termos da sentença. A primeira instância estabeleceu que a autora tem direito ao ressarcimento de todas as despesas médicas comprovadamente já feitas depois da cirurgia. E ainda: pelas novas cirurgias, internações, medicamentos e exames.

A autora, conforme avaliou o desembargador, permanece sustentada pelos pais, já idosos; apresenta um quadro psicológico debilitado, afastada do marido e dos filhos; e tem, ainda, deformações do abdômen. Pior: continua usando sondas.

Por isso, Souza Prudente reajustou a indenização por danos estéticos de R$ 20 mil para R$ 40 mil. E também passou de R$ 90 mil para R$ 200 mil a indenização por danos morais. A pensão vitalícia pedida pela autora não foi concedida. Motivo: ela não demonstrou estar incapacitada para trabalhar.

AC 2001.38.00.017621-4/MG

Revista Consultor Jurídico, 11 de junho de 2008, 10h09

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/06/2008.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.