Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Atraso de pagamento

Juiz bloqueia conta da prefeitura em Minas para pagar salários

Metade do dinheiro das contas bancárias da Prefeitura de Januária (MG) está bloqueada até esta quarta-feira (31/12). A decisão, tomada no dia 26 de janeiro, é do juiz Geraldo Andersen de Quadros Fernandes, da 2º Vara da cidade.

A medida serve para garantir o pagamento dos salários e do 13º dos servidores municipais. Segundo o repórter Fábio Oliva, do jornal Folha do Norte, a prefeitura deve apresentar uma lista com o salário dos funcionários. O pedido foi feito pelo Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Januária e patrocinado pelo advogado Rodrigo Lagoeiro Rocha. São cerca de 1,5 mil trabalhadores com salários atrasados há mais de dois meses.

Para garantir o pagamento de seus funcionários e dos vereadores, a Câmara Municipal de Januária também ingressou com Mandado de Segurança contra o prefeito Sílvio Joaquim de Aguiar (MG). A liminar foi concedida nesta terça-feira (30/12).

O juiz registrou que “é fato notório nesta cidade que desde a fracassada candidatura ao pleito eleitoral de 2008, o prefeito parou de honrar uma série de compromissos do município, entre eles o pagamento do funcionalismo municipal, fato que virou notícia corriqueira no meio social”.

Segundo o juiz, “além de seu caráter de verba alimentar, o salário é a retribuição pelo trabalho prestado e única fonte de renda de uma grande quantidade de servidores de origem humilde”. Quadros Fernandes observou ainda que todos os servidores dependem dos salários para que possam manter a dignidade, registrando que a maioria sobrevive com salário mínimo.

“Negar o pagamento de salários a todos os servidores do município após dois meses de trabalho prestados significa a total negação do princípio da dignidade da pessoa humana”, afirmou o juiz, reconhecendo que “a situação é desesperadora”.

O juiz salientou que o pagamento do funcionalismo público representa uma das maiores fontes de sustento da economia local.

Revista Consultor Jurídico, 30 de dezembro de 2008, 16h36

Comentários de leitores

3 comentários

A realidade se repete aqui na Bahia, sou funcio...

daniel (Outros)

A realidade se repete aqui na Bahia, sou funcionario contratado e tambem não recebi o salario referente a dezembro de 2008. Troca-se o gestor municipal, peço um conselho, como devo proceder???? obrigado.

Ainda há o que comentar? Acho pouco provável! R...

imperadorzeros (Jornalista)

Ainda há o que comentar? Acho pouco provável! Resta saber se há dinheiro nas contas. A decisão é sábia e esperada e como citou o próprio CONJUR na capa desta revista eletrônica, o Direito Eleitoral não evoluiu ao ponto de prender bandidos como o de Januária! Carlos Henrique Mascarenhas Pires www.irregular.com.br

E a prática é disseminada Brasil afora. Basta p...

Vinícius Campos Prado (Professor Universitário)

E a prática é disseminada Brasil afora. Basta perder as eleições para suspender o pagamento do funcionalismo, os serviços de abastecimento de água, obras que estavam em andamento, etc. E se se processa um administrador desses por improbidade administrativa, vem logo alguém procurando interpretar a lei a favor do transgressor. Nessa hora, oportunistas de plantão lembram-se da " presunção de inocência", do " Estado Democrático de Direito" e pilares outros da Democracia. Mas não se lembraram de toda a imensa parcela da sociedade ferida pela desonestidade e espírito de vingança daquelas pessoas pagas para melhorar a vida dos seus concidadãos, não para martirizá-los. É preciso extinguir o instituto da reeleição urgentemente, o qual não se coaduna com os entendimentos de que os mandatos são do partido. Ora, se o princípio é o fortalecimento do partido em detrimento das individualidades, tanto faz quem esteja no poder, desde que siga as diretrizes partidárias. Aí, sim, vai ser criada uma concepção política definida dos partidos e dos eleitores.

Comentários encerrados em 07/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.