Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Judiciário de mudança

Seção de Direito Público do TJ-SP terá nova sede em fevereiro

Por 

A direção do Judiciário paulista promete para o final de fevereiro o início da mudança dos gabinetes dos desembargadores da Seção de Direito Público para o prédio do antigo Hotel Hilton, na avenida Ipiranga, região central da cidade de São Paulo. De acordo com a Presidência do Tribunal de Justiça, em 60 dias, todos os desembargadores já devem estar de casa nova.

A mudança já era para ter ocorrido, mas o atraso na obra de revitalização do antigo prédio ocupado até cinco anos atrás pelo hotel obrigou o TJ a adiar seu plano. Serão transferidos para o local 117 gabinetes de desembargadores, hoje alocados em um prédio na avenida Paulista, conhecido como Paulistão, no bairro de Cerqueira César.

O imóvel está sendo restaurado desde julho do ano passado. Chegou a ser inaugurado em dezembro de 2007. A entrega total do prédio estava prevista para ocorrer em janeiro deste ano. Mas, na época, uma visita da equipe técnica de engenharia do TJ atestou que não havia condições de ocupação. A obra tinha sido paralisada. Pelo menos três andares ainda estavam em fase de demolição e faltava acabamento em quase todos os outros pavimentos.

As obras foram retomadas em abril, com a previsão de o prédio ser entregue em agosto. Novos problemas surgiram e o tribunal trabalhava com a possibilidade da mudança ser concretizada até o final do ano. Dezembro chegou e agora a obra só será entregue em fevereiro de 2009.

O juiz José Maria Câmara Júnior, assessor da Presidência do Tribunal de Justiça, afirma que, antes da mudança, o prédio passará por uma vistoria de engenheiros do Judiciário paulista para confirmar se todas as condições de habitabilidade foram cumpridas. Segundo o magistrado, a mudança para o novo prédio será gradativa — cerca de cinco gabinetes serão transferidos por dia.

O valor total da reforma deve chegar a R$ 14 milhões. A princípio, a obra foi orçada em R$ 8 milhões. A conta subiu porque o projeto foi alterado. O tribunal decidiu modificar o projeto original de reforma, trocando os velhos elevadores da década de 40 e o sistema de ar condicionado.

As despesas da reforma estão sendo pagas pela empresa que administra o prédio onde funciona o Hilton. Segundo o contrato de locação firmado com o TJ, o tribunal pagaria seis meses de aluguel — R$ 670 mil por mês, tempo em que a reforma devia ser concluída. Como não foi, o tribunal parou de pagar o aluguel. Só volta a pagar quando já estiver instalado no novo espaço.

Ambiente seguro

Os gabinetes dos desembargadores ficarão nos últimos andares do prédio — do 11º ao 32º. Haverá ainda um auditório e garagens. A segurança será reforçada no entorno do prédio, região conhecida pelo grande número de boates e casas noturnas. A presença dos desembargadores vai criar um cordão de isolamento, além de novos postos policiais.

Também estão previstas mudanças no tráfego local. A segunda pista da avenida Ipiranga que estava interditada foi reaberta. Haverá ainda mudanças em semáforos e no calçamento das ruas. A chefia do Judiciário paulista diz que a presença dos desembargadores vai colaborar para a revitalização da região central.

Cada magistrado vai ocupar três salas do antigo hotel, totalmente remodeladas. Dois ambientes ficarão para um escrevente e um assistente, além de um amplo gabinete para os desembargadores.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 28 de dezembro de 2008, 0h00

Comentários de leitores

4 comentários

Dá nojo. Dá náuseas! Quando se lê uma noticia ...

Domingos da Paz (Jornalista)

Dá nojo. Dá náuseas! Quando se lê uma noticia que diz que o Judiciário de mudança, ou seja, a Seção de Direito Público do TJ-SP terá nova sede. A principal mudança que o homem precisa e a sociedade necessita é a renovação espiritual e a mentalidade voltada para o social, integralmente, mas isto, eles não fazem, sabe por quê? Porque não há e nem nunca houve interesse em mudar absolutamente nada. Dentre os “Poderes da República”, o mais pernicioso, pérfido e truculento dos “poderes”, ainda é, disparado, na frente dos demais, o fedorento judiciário. Propina aqui, propina acolá, tudo disfarçado. Uma prevaricação aqui outra acolá. Uma omissão aqui outra acolá. Um abuso de autoridade aqui, ali e acolá. Nada muda. É tudo a mesma coisa há séculos. Quando se falou em mudanças no Judiciário Paulista, pensei logo e de cara não tive dúvidas que os juizes e desembargadores passariam a respeitar as leis do meu país, como amo este Brasil, entretanto, odeio este tipo de “gentalha” que ilustres advogados são obrigados a chamá-los de Excelência. Meu ponto de vista são “excrescências”, haja vista o que estes pústulas vitimaram a mim, meus familiares e amigos com prisões ilegais para resguardo dos “crimes que praticaram” contra o Estado e a sociedade. Vai mudar tudo, objetivamente, só o endereço: - “Também estão previstas mudanças no tráfego local. A segunda pista da avenida Ipiranga que estava interditada foi reaberta. Haverá ainda mudanças em semáforos e no calçamento das ruas. A chefia do Judiciário paulista diz que a presença dos desembargadores vai colaborar para a revitalização da região central.”. Todavia, o brio, a vergonha, a cultura e a educação espiritual continuam os mesmos, são e hão de continuar pérfidos pela própria formação do “homem na terra”!

Ninguem perde nesse negócio. Já aumentaram os a...

Roberval Taylor (Consultor)

Ninguem perde nesse negócio. Já aumentaram os alugueis na visinhança´. Logo aumentarão o preço dos estacionamentos. Só espero que quando eu for a São Paulo não tenha aumentado o preço do chope naquele boteco da Amaral Gurgel, nem o dos HOs das redondezas e dos serviços das "mina"...

A BRIGA DO EDIFÍCIO ITÁLIA E DO HILTON HOTEL (...

Jose Antonio Schitini (Advogado Autônomo - Civil)

A BRIGA DO EDIFÍCIO ITÁLIA E DO HILTON HOTEL (TOM ZÉ)” O Edifício Itália era o rei da Avenida Ipiranga: alto, majestoso e belo, ninguém chegava perto da sua grandeza. Mas apareceu agora o prédio do Hilton Hotel gracioso, moderno e charmoso roubando as atenções pra sua beleza. O Edifício Itália ficou enciumado e declarou a reportagem de amiga: que o Hilton, pra ficar todo branquinho toma chá de pó-de-arroz. Só anda na moda, se veste direitinho e se ele subir de branco pela Consolação até no cemitério vai fazer assombração o Hilton logo logo respondeu em cima: a mania de grandeza não te dá vantagem veja só, posso até ser requintado mas não dou o que falar Contigo é diferente, porque na vizinhança apesar da tua pose de rapina já andam te chamando Zé-Boboca da esquina E o Hilton sorridente disse que o Edifício Itália tem um jeito de Sansão descabelado e ainda mais, só pensa em dinheiro não sabe o que é amor tem corpo de aço, alma de robô, porque coração ele não tem pra mostrar Pois o que bate no seu peito é máquina de somar. O Edifício Itália sapateou de raiva rogou praga e até insinuou que o Hilton tinha nascido redondo pra chamar a atenção abusava das curvas pra fazer sensação e até parecia uma menina louca Ou a torre de Pisa vestida de noiva

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 05/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.