Consultor Jurídico

Tráfico de drogas

Juíza condena 107 integrantes do PCC no interior de São Paulo

A juíza Maria Letícia Pozzi Buassi da 4ª Vara Criminal de São José do Rio Preto (SP) condenou 107 suspeitos de integrar a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), na última quinta-feira (18/12). Dos condenados, três são acusados de comandar o tráfico de drogas no interior do estado. Dois advogados e um funcionário público também estão entre os condenados. A informação é do jornal O Estado de São Paulo .

Os crimes foram descobertos durante a Operação Desmonte, deflagrada em 2004 pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaerco), que investigou o esquema de tráfico, comandado por integrantes do PCC de dentro das penitenciárias de Mirandópolis, Valparaíso e Lavínia, no interior de São Paulo.

Edson José da Costa (Edinho); Marcos Roberto Ciccone (Ciccone); Anísio Pedro Gonçalves (Anisião); Jair Carlos de Souza (Jajá); e Mário Sérgio Costa (Esquerda), morto na prisão no ano passado, são acusados de comandar o esquema de compra e venda de drogas. De acordo com a investigação o grupo “fechava negócios” por celular de dentro da prisão, mandava punir traficantes inadimplentes e mantinha uma agência de automóveis para lavar dinheiro do crime.

O valor levantado com as ações é estimado em R$ 1 milhão por mês, segundo as investigações. Parte do montante era desviado para contas de "laranjas". No curso do processo, 26 pessoas foram absolvidas — 14 por iniciativa do Ministério Público Estadual e 12 por insuficiência de provas.

Na acusação, o Ministério Público aponta a participação dos advogados Naim Budaibes e Thiago de Jesus Menezes. Os dois são acusados de usar documentos falsos para conseguir a liberação de uma motocicleta para integrantes da quadrilha. Por isso, deverão cumprir quatro anos em regime inicial aberto.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 24 de dezembro de 2008, 13h06

Comentários de leitores

2 comentários

Belo trabalho, de fôlego e coragem. Espera-se q...

Luismar (Bacharel)

Belo trabalho, de fôlego e coragem. Espera-se que as demais instâncias não estraguem. Espero que nesse caso os réus tenham oferecido defesa preliminar.

A notícia mostra o quanto se revela imprescindí...

MUDABRASIL (Outros)

A notícia mostra o quanto se revela imprescindível, notadamente em alguns tipos de delitos (como aqueles comandados de cadeias), a utilização das interceptações telefônicas na investigação. Mostra que tal recurso não pode ser proibido, como parecem pretender alguns, sob pena de se ver ampliar a impunidade. E deixa claro que o MP não só pode como DEVE investigar, como ocorre no mundo inteiro.

Comentários encerrados em 01/01/2009.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.